Desfile da Cordão do Bola Preta agita as ruas do Centro do Rio

Greve de PMs não espantou foliões, que se amontoaram no Centro

Nem a greve de PMs no Rio espantou a multidão ansiosa para o primeiro desfile do bloco de rua Cordão da Bola Preta, no Centro do Rio. Apesar da chuva forte, que caiu rapidamente no fim desta tarde, os foliões, muitos que saíam do trabalho, já estavam da concentração.

Em cima do trio, os 28 músicos do bloco esquentaram o público tocando a marchinha “Quem não chora não mama”, que faz uma homenagem ao bloco.

A anunciada greve dos policiais não pareceu abalar a disposição de frequentadores do Bola Preta. O auxiliar de escritório Vinicius Freitas, 25 anos, contou que acompanharia o bloco mesmo se o policiamento estivesse enfraquecido.

"O Bola Preta é um bloco de paz, não tem nenhuma confusão. As pessoas só querem brincar", afirmou.

Para a vendedora Silvia Batista, 23, apenas a chuva ameaçou a presença dela no bloco. Um rápido temporal caiu cerca de uma hora antes do bloco sair. "Se a chuva não tivesse parado, não estaria aqui", contou.

O policiamento foi feito por 200 policiais militares e 50 viaturas do 5º BPM com reforço do Estado Maior da PM. A Guarda Municipal tem 240 homens no local, e outros 40 agentes da prefeitura, entre orientadores de trânsito e controle urbano, trabalham no desfile.

O desfile chegou a ser cancelado durante a madrugada devido à greve das polícias Civil e Militar e do Corpo de Bombeiros. 

Com Portal Terra