Zona Oeste receberá um novo Hospital Estadual Rocha Faria

Em breve, a população da Zona Oeste do Rio de Janeiro vai poder contar com um novo Hospital Geral com o que há de mais moderno em atendimento do trauma. É o novo Hospital Estadual Rocha Faria (HERF), que vai ser construído por Parceria Público-Privada (PPP) em um terreno do Governo do Estado na Estrada do Mendanha, em Campo Grande, bem próximo às principais vias de acesso da região. A nova unidade ocupará área três vezes maior e terá capacidade de atendimento ampliada em 400%.

Com o crescimento da demanda por atendimento de saúde na Zona Oeste, o atual HERF não comporta mais as necessidades da região. Além disso, o prédio da Av. Cesário de Melo é tombado e não permite grandes alterações estruturais. Entre obras e equipamentos, devem ser investidos R$ 160 milhões no novo HERF.

- Com o incêndio do Hospital Pedro II, o Rocha e o Albert Schweitzer (Realengo) ficaram muito sobrecarregados. E mesmo com a criação de UPAs na região e a reabertura do Pedro II (prevista pela Prefeitura do Rio para março de 2012), seguimos com demanda na Zona Oeste, que é uma das regiões da capital que mais cresce. Por isso, o governador Sérgio Cabral decidiu construir um novo Hospital. Aproveitamos essa oportunidade para fazer um projeto incorporando à estrutura do novo Rocha Faria o que há de mais moderno em atendimento de emergência no mundo – destaca o secretário de Estado de Saúde, Sérgio Côrtes, lembrando de seriados norte-americanos como Grey’s Anatomy e Plantão Médico para explicar que modernas tecnologias são essas.

O novo Hospital Estadual Rocha Faria terá, por exemplo, duas portas de entrada de emergência. Uma delas será exclusiva para atendimento dos casos de politraumatizados, que chegam de ambulâncias de toda a região, sendo referência na atuação para salvar vidas. Essa área de emergência será equipada para permitir intervenções cirúrgicas de urgência no local de entrada do paciente. Além disso, terá equipamento de ressonância magnética e de tomografia computadorizada em sala contígua à emergência, para dar mais agilidade nos diagnósticos dos traumas.

- Isso é o que está sendo feito nos grandes centros do mundo. Aliás, estamos com uma equipe nossa fazendo treinamento desses tipos de protocolo com os profissionais da Universidade de Maryland, em Baltimore, nos Estados Unidos; a mesma que atende o presidente Barack Obama – ressalta o secretário.

Cronograma – A previsão é que o Projeto Executivo do novo Hospital Estadual Rocha Faria seja finalizado pela Empresa de Obras Públicas do Estado (Emop) em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde até o início de março deste ano. Em seguida, a Secretaria de Estado de Obras lança a manifestação de interesse e a licitação de PPP para a construção do novo hospital. A ideia é que a obra dure 18 meses e o novo Hospital Estadual Rocha Fariaseja entregue à população no início de 2014.

Atual Rocha Faria – Apesar de ter limitações físicas e estruturais para ampliação do atendimento, o atual Hospital Estadual Rocha Faria é líder entre as unidades estaduais na realização, por exemplo, de cirurgias ortopédicas. Foram 3.021 procedimentos entre janeiro e dezembro de 2011, desempenho que só perde para o hospital de referência na área que é o Hospital de Traumatologia e Ortopedia Dona Lindu, em Paraíba do Sul (3.153).

- Temos no Rocha uma equipe muito boa de profissionais, que trabalha diariamente com a superlotação da emergência. A orientação é receber todos os pacientes que procuram as unidades de saúde do Estado e, mesmo com capacidade limitada, o Rocha recebe a todos e consegue excelente desempenho nas cirurgias do trauma e também na área de maternidade. Fizemos investimentos ao longo dos anos para dar melhores condições para as mães da região poderem dar à luz seus filhos até que a nova unidade fique pronta para melhor ainda mais – diz o secretário Sérgio Côrtes.

Núcleo de Avaliação Fetal – O Hospital Estadual Rocha Faria inaugurou no dia 14 de dezembro o primeiro Núcleo de Avaliação Fetal (NAF) da rede pública estadual de saúde, que permite, por meio de exames avançados, avaliar o feto ainda dentro da barriga da mãe. O novo serviço conta com ultrassonografia morfológica fetal, dopplervelocimetria materna e fetal, cardiotocografia basal, perfil biofísico fetal, perfil biofísico do embrião e amnioscopia. Todos eles são voltados, principalmente, para pacientes em gestação de alto risco. A futura mamãe pode acompanhar tudo através de um monitor, recebendo as explicações necessárias durante o procedimento. Todos os exames são indolores e não-invasivos.

O NAF funciona dentro da maternidade do hospital e atende pacientes internadas na unidade e em outros hospitais da rede da Secretaria de Estado de Saúde (SES), agendadas previamente na secretaria do NAF. Essas pacientes precisam ter um pedido médico e ser encaminhadas pelas unidades da SES. O atendimento é diário e ininterrupto para as gestantes internadas no hospital e de segunda a sexta, das 8h às 17h, para as demais.