Rio acha mais 10 bueiros com perigo de explosão; total chega a 323

A prefeitura do Rio de Janeiro localizou na madrugada desta quinta-feira mais dez bueiros com grande risco de explosão. De ontem para hoje, foram feitas 366 vistorias de tampões do monitoramento independente no Centro e nos bairros da Tijuca, zona norte, e Copacabana, na zona sul.

Na rua Conde de Bonfim, foram identificados três bueiros com risco de explosão. Outros dois estavam na rua do Resende. As ruas Haddock Lobo, das Laranjeiras, Laura de Araújo, Ronald de Oliveira e Barata Ribeiro também apresentaram a ocorrência.

Com a vistoria da Secretaria de Conservação e Serviços Públicos desta madrugada, o total de bueiros com alto risco de explosão subiu para 323. Em todos os casos, segundo a prefeitura, o protocolo de emergência foi acionado, com a comunicação imediata ao Centro de Operações Rio e às concessionárias Light e CEG. Os bueiros foram isolados e sinalizados para reparo imediato pelas empresas responsáveis.

Desde o inicio da operação de fiscalização, em agosto do ano passado, 40.619 vistorias foram feitas na cidade. O monitoramento independente de risco em bueiros tem duração de seis meses e decorre de acordo de cooperação entre a prefeitura do Rio, o governo do Estado, o Ministério Público e o Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Rio de Janeiro (Crea-RJ).

O Rio de Janeiro tem mais de 16 mil tampões. Em um ano, mais de trinta bueiros explodiram na cidade. Em Copacabana, na rua República do Peru, em junho de 2010, um casal de turistas americanos ficou gravemente ferido. No início desta semana, na área do Armazém 30, uma explosão deixou um morto e dois feridos. As vítimas eram funcionários da empresa terceirizada São Mateus. No momento da explosão, o soldador Rafael Martins de Souza, 27 anos, estava em cima da tampa do bueiro e foi arremessado a uma altura de cerca de 20 m. Ele não resistiu aos ferimentos. Os dois sobreviventes foram identificados como o mecânico Carlos Ribeiro e o soldador Paulo Pereira, ambos de 52 anos. Eles tiveram fraturas e queimaduras.