Grande Tijuca terá o primeiro Batalhão de Polícia de Proximidade

Na fase inicial do projeto, que terá duração de três meses, 40 PMs vão atuar nas ruas do Grajaú 

O 6º Batalhão de Polícia Militar deu início ao projeto piloto para instalar na Grande Tijuca o primeiro Batalhão de Polícia de Proximidade. No total, 40 policiais vão atuar nas ruas do Grajaú na primeira fase do projeto, que tem duração prevista de três meses.

Outros 60 policiais também vão participar da iniciativa, a partir do mês de março. Antes de começar o trabalho nas ruas, inspirado na filosofia de policiamento de proximidade realizado nas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), os membros da corporação vão assistir a aulas teóricas e práticas.

– Queremos trabalhar a cabeça de nossos policiais e incorporar a filosofia do policiamento de proximidade. O cenário no Rio mudou completamente, não estamos mais em guerra. Nossa intenção é realizar as palestras para sensibilizar os membros da corporação e disseminar este novo perfil de trabalho que foca no cidadão, e não no bandido – disse o comandante do 6º BPM, tenente-coronel Márcio Oliveira Rocha.

 De acordo com o comandante, outras ações de proximidade têm dado bons resultados. Mensalmente, o batalhão abre as portas à população para os cafés comunitários.

 – A polícia deve servir ao cidadão. Se este policial se torna mais acessível, poderá ajudar na resolução de problemas. Nos cafés comunitários, por exemplo, convidamos autoridades de diversos órgãos e abrimos as portas aos moradores da região. As demandas que surgem vão desde mais policiamento até a falta de água ou a poda de uma árvore – afirmou.

Para o soldado Alan Pio, de 26 anos, a nova proposta de atuação nas ruas será importante para melhorar a comunicação dos policiais militares com a população.

– Acho que as pessoas vão se sentir mais acolhidas por nós – disse o soldado.

Ontem, policiais do 6º BPM participaram do lançamento do Programa de Capacitação Profissional, que terá duração de uma semana, na sede do batalhão. Entre os temas que serão abordados no curso estão a nova filosofia de proximidade da polícia, Direitos Humanos, legislação penal, imagem da corporação, tiro de defesa, artefatos não letais, entre outros assuntos.

Para o sargento Marcos Bandeira, integrante do contingente que já policia o bairro do Grajaú, as palestras são importantes para garantir resultados positivos.

– A população vai confiar mais na gente. Nossa conduta deve ser a sempre a do respeito ao cidadão – afirmou o sargento.