UPP do Tabajaras completa dois anos neste fim de semana

Dois anos após a inauguração da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Tabajaras e Cabritos, segurança, qualidade de vida e desenvolvimento econômico fazem parte do cotidiano dos 17 mil moradores das comunidades de Copacabana e Botafogo. As mudanças chegaram junto com a UPP, em 14 de janeiro de 2010. Hoje, a Ladeira dos Tabajaras e o Morro dos Cabritos descobriram suas vocações, estão entrando para a lista de atrações turísticos e culturais do bairro e servem de janela para famosos cartões postais da cidade, entre eles o Pão de Açúcar.

- Antes, as pessoas exigiam o atendimento aos seus direitos e se dispunham a cumprir com suas obrigações, mas nenhum dos dois eram cumpridos. E esse é o grande ganho das UPPs, a garantia dos direitos e deveres de uma população - afirmou o coordenador de Polícia Pacificada, coronel Rogério Seabra.

A programação de aniversário da 6ª UPP do Estado começou nesta sexta-feira (13/1), na quadra da Unidos da Vila Rica, com a realização de um ato ecumênico, uma homenagem aos policiais que contribuíram com o processo de pacificação e uma roda de samba com feijoada. No sábado (14/1), a comunidade continua a celebrar: os moradores do morro participarão de campeonatos esportivos, de uma ação social e do festival Talentos das UPPs.

Turismo e cultura são as atrações das comunidades

Ao longo dos anos, as comunidades - que têm vista para toda a orla da Zona Sul, o Pão de Açúcar e a ponte Rio-Niterói, e abrigam o belíssimo Santuário São Benedito e Nossa Senhora de Fátima - atraem cada vez mais turistas e visitantes. Assim com na maioria dos morros pacificados, a Ladeira dos Tabajaras e o Morro dos Cabritos se preparam para realizar projetos e formar guias turísticos das próprias comunidades.

- Com a chegada da UPP, sabíamos que a tendência seria melhorar em diversas aéreas. Recebemos muitos turistas na comunidade e por isso vamos focar no turismo este ano. Em parceria com a Faculdade Facha, hotéis da região e agências de turismo, iremos trazer universitários para capacitar moradores como guias turísticos - disse o presidente da Associação de Moradores da Ladeira dos Tabajaras, Reinaldo Reis.

Ser uma atração turística reflete no crescimento do comércio e do mercado imobiliário, que cresceram 50% e 80%, respectivamente, segundo as Associações de Moradores dos Tabajaras e do Cabrito. Para a comerciante Aline Manso dos Santos, a pacificação significou o começo de uma nova vida pessoal e profissional. A jovem virou dona do próprio negócio, depois que ganhou como nova vizinha a sede da UPP, e sonha em ampliar seu pequeno bar em um restaurante, onde poderá servir aos moradores e visitantes seus famosos caldos.

- As mudanças na comunidade me afetaram diretamente. Consegui abrir um barzinho com meu marido Thiago, aumentando nossa renda familiar e melhorando a educação do nosso filho Marlon, de 12 anos. E espero fazer do Viradão Carioca Lanches um pequeno restaurante, e sei que vai dar certo. Clientes são o que não faltam, graças a Deus - contou Aline, de 29 anos, que lembrou orgulhosa que seu comércio foi formalizado.

A cultura também é outro ponto forte da comunidade. Para resgatar um pouco a história da Ladeira, a UPP e os moradores do morro promovem eventos como a edição da festa Eu amo baile funk, já consagrada nos palcos do Circo Voador, no Museu de Arte Moderna e no Vivo Rio. Batizado pela comunidade de Unidade de Pancadão Pacificado, o evento movimentou a os Tabajaras e os Cabritos no último dia 7.

- As festas ajudam a mostrar os valores e a cultura das comunidades. Os sambas e os bailes funk, que sempre contam com presença de turistas, acontecem semanalmente, mas estamos levantando uma outra bandeira, a da paz. O nosso objetivo é promover bailes bem ordeiros, com total tranquilidade. As comunidades são muito culturais, berço de alguns artistas plásticos e músicos - explicou o comandante da UPP Tabajaras, capitão Joacir Virgílio.

Dois anos sem violência

A dona de casa Glauce Cristina de Souza, de 25 anos, resume o sentimento de seus familiares e vizinhos, que conviveram com a criminalidade durante décadas e que agora desfrutam das melhorias que chegaram com a implantação da UPP, em uma palavra: tranquilidade. Nascida e criada na Ladeira dos Tabajaras, Glauce comemora a nova oportunidade que ela e seus filhos tiveram com a pacificação.

- Vivo muito mais sossegada com meus três filhos: Karlane, de 5 anos, Isaque, de 9 meses, e Gabriel, de 7 anos. A paz proporciona uma vida melhor para a minha família, sem tiroteios e confusões. Além das obras de infraestrutura com ruas mais limpas e urbanizadas, temos uma boa relação com os policiais. Minha filha, por exemplo, está sempre com uma das policiais da UPP - lembrou.

O reforço no policiamento é uma das principais conquistas para a aposentada Maria do Carmo Rodrigues, moradora da Ladeira dos Tabajaras há 32 anos. Junto com as UPPs Santa Marta, Chapéu Mangueira e Babilônia, Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, e futuramente Vidigal e Rocinha, a unidade da Ladeira dos Tabajaras e sua tropa de 137 policiais ajudam a reduzir a criminalidade no asfalto e no morro.

- Se olhar para trás, vejo muitas coisas erradas e insegurança. Agora sei que meus netos, que veem me visitar, podem brincar à vontade. A segurança é maravilhosa e sempre podemos contar com os policiais com ou sem chuva, a qualquer hora do dia. Posso sair de madrugada para ir ao médico, que estou segura - relatou Dona Maria, de 72 anos, que mora sozinha na Ladeira dos Tabajaras.