Obras da Linha 4: moradores do Leblon se revoltam com interdição de garagens

A informação divulgada na última quinta-feira (15) pelo secretário da Casa Civil Régis Fichtner de que dois trechos da Avenida Ataulfo de Paiva, no Leblon (Zona Sul do Rio), vão ser interditados para as obras da Linha 4 do metrô, na Zona Sul (que vai ligar a Barra da Tijuca a Ipanema) não caiu bem aos moradores do bairro.

Indignados com a notícia, eles criticaram duramente a decisão do governo do estado de não permitir que garagens de alguns prédios da Ataulfo funcionem e desconfiam que a promessa do secretaria da Casa Civil de disponibilizar edifícios-garagem para atender os moradores prejudicados não passe  mesmo de uma promessa. As obras devem começar já em fevereiro do ano que vem. 

"O trânsito naquela região já é terrível. Não apenas nos horários de rush, mas durante todo o dia. Esta obra vai atrapalhar mais ainda o cotidiano de quem mora no Leblon. Impedir que os motoristas utilizem as garagens de seus próprios prédios é uma medida absurda. É um direito dos moradores usarem suas próprias garagens", reclamou a estudante Luiza Varges.

A presidente da Associação de Moradores e Amigos do Leblon (AMALeblon), Evelyn Roseweig foi mais além em sua crítica. "Onde o governo do estado vai alugar edifícios-garagem para atender os moradores do Leblon? Porque o único edifício-garagem que o bairro possui fica na Rua João Lira. Não há outro e este não vai atender à demanda", disparou a representante. "O povo carioca mais uma vez vai ser prejudicado", concluiu.

A resposta dada ao assunto pelo secretário da Casa Civil Régis Fichtner, durante entrevista coletiva, sugeriu sacrifício dos cariocas:

"A mensagem que queremos passar para a população é que serão necessários transtornos temporários para uma obra desse porte. No entanto, os benefícios posteriores serão permanentes", afirmou.

As interdições para obras da Linha 4 na Zona Sul prevêem ainda o fechamento da Praça NOssa Senhora da Paz, em Ipanema, por 13 meses, de fevereiro de 2012 a fevereiro de 2013; além da interdição das estações General Osório e Cantagalo, que passarão por obras de integração com a nova linha e, por isso, também serão interditadas.

Os trechos a serem fechados na Avenida Ataulfo de Paiva ficam entre as ruas General Urquiza e Bartolomeu Mitre e as avenidas Borges de Medeiros e Afrânio de Melo Franco.

Procurada através de sua assessoria de imprensa nos dias 15 e 16 deste mês, a Casa Civil não respondeu às solicitações feitas pelo Jornal do Brasil sobre as críticas dos moradores com relação às propostas de interdição do governo do estado.