Moradores do Salgueiro recolhem meia tonelada de lixo em gincana

Moradores da comunidade do Salgueiro, na Tijuca, Zona Norte do Rio, recolheram neste sábado mais de meia tonelada de materiais recicláveis na terceira etapa da 1ª Gincana 10 Minutos Contra a Dengue. A ação, realizada pela Secretaria do Ambiente em áreas com Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), é mais uma campanha educativa para combater o mosquito Aedes aegypti. As comunidades do São Carlos, do Pavão-Pavãozinho/Cantagalo e do Turano também participaram da gincana.

Na competição, os moradores precisaram cumprir dez tarefas: gravar um vídeo; criar um grito de alerta; compor uma música; confeccionar uma bandeira; apresentar uma esquete teatral; decorar e pintar a comunidade; mobilizar os moradores; recolher material reciclável; fazer um diagnóstico do território; e formar uma brigada contra dengue. A comunidade que conseguir concluir todas as atividades será a vencedora da gincana.

- Para cada tarefa cumprida, a comunidade ganha um ponto, que varia de 0 a 5. O encerramento do programa será no dia 17 de dezembro, na comunidade vencedora, que ganhará um show da equipe Furacão 2000. A partir do ano que vem, também serão instalados ecopontos, pontos de coleta de materiais recicláveis, nas comunidades que cumprirem todas as atividades da gincana - afirmou a coordenadora da equipe de educação da Secretaria do Ambiente, Maria de Lourdes Pereira. 

Depois que a gincana terminar, brigadas contra a dengue manterão as comunidades pacificadas sem focos do mosquito causador da doença. Formada por cinco moradores, a brigada do Salgueiro lançará um plano de ação contínua para combater a dengue. O grupo irá se reunir mensalmente com profissionais envolvidos na gincana para que eles possam acompanhar as ações na comunidade.

- Todos do morro estão mobilizados. Queremos ganhar a gincana, mas o mais importante é educar a população sobre os perigos da dengue. Com a brigada, vamos continuar fiscalizando as ações de prevenção e iremos capacitar os moradores em oficinas. O plano é qualificar os jovens para que possam ganhar dinheiro com o material coletado - explicou uma das integrantes da brigada contra a dengue do Salgueiro e presidente da cooperativa de artesanato Mulheres que Acontecem, Carla Ivantes.

Comunidade unida contra a dengue

Na gincana, a população é estimulada a separar o lixo que pode ser reciclado, aproveitando a cooperativa de catadores da própria comunidade, que faz a separação desses resíduos para comercializá-los. Ao participar da coleta do lixo, os moradores colaboram no combate a possíveis focos de procriação do mosquito transmissor da dengue. O grafiteiro Leonardo David, de 28 anos, aproveitou a gincana para deixar a comunidade onde nasceu mais bonita.

- Eu fiz questão de participar da gincana contra a dengue. Primeiro, porque é importante para a saúde dos moradores, e segundo, porque vai embelezar o morro. Acho que o meu grafite chamará mais atenção para a campanha de combate à doença - disse.

Para os estudantes Paulo Victor, de 11 anos, e Thainá Bahia, de 10 anos, a ação preventiva se transformou em uma grande brincadeira. Eles ajudaram a recolher latas de refrigerante e livros nas vielas do Salgueiro, participaram da oficina de desenho e aprenderam como eliminar os focos do mosquito da dengue. Mas o objetivo do grupo de crianças e jovens do morro é vencer a gincana.

- Estamos nos divertindo e aprendendo ao mesmo tempo, mas o que queremos mesmo é ganhar o prêmio final. Eu recolhi muitos livros e latinhas de alumínio. Além disso, fizemos a música para a gincana em duas versões: funk e samba. Tudo isso para vencer a gincana - disse, confiante, Thainá.

Próxima gincana

No próximo sábado (10/12), a ação chegará aos morros dos Macacos, Matriz/Quieto/São João, Providência, Tabajara e Cabritos. A gincana - promovida pelo Governo do Estado, através das secretarias do Ambiente, de Saúde, de Assistência Social e Direitos Humanos, de Cultura e de Segurança, e da Funasa - foi lançada em novembro na Cidade de Deus, mobilizando cerca de 300 moradores. As competições já aconteceram no Andaraí, Chapéu Mangueira/Babilônia, Escondidinho/Prazeres, Batan, Borel, Coroa/Fallet/Fogueteiro, Dona Marta e Formiga.