Feira de Oportunidades faz mais de 3 mil atendimentos na Rocinha

A Feira de Oportunidades promovida pela Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS) neste sábado, no Complexo Esportivo da Rocinha, realizou 3.291 atendimentos para encaminhamento a vagas de empregos formais e cursos de qualificação, entre outros serviços. A ação aconteceu das 10h às 15h e foi direcionada a moradores das comunidades da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu.

Para o secretário Rodrigo Bethlem a programação é uma forma de integrar a comunidade com todos os programas e serviços que a prefeitura dispõe, principalmente nas áreas da assistência social, saúde, habitação e emprego. "São pessoas que precisam de muito apoio e orientação e é por isso que nós estamos priorizando essas ações. Alguns jovens relataram aqui que nunca tiveram oportunidade de trabalharem formalmente, porque viviam reféns do tráfico. Agora chegou a hora de se qualificarem para seguirem em frente", observou Bethlem.

Além da oferta de oportunidades de trabalho, os participantes também receberam orientações de empreendedorismo e qualificação profissional nas áreas da construção civil, hotelaria, gastronomia, telemarketing e comércio. Também conferiram outros serviços como orientação jurídica nas áreas civil, penal e trabalhista, isenção de taxa para retirada de 2ª via de documentação e inscrição para programas e projetos sociais desenvolvidos pelo município. Uma unidade volante de combate à dependência química da SMAS ficou a disposição dos interessados no atendimento e orientação sobre vagas em clínicas especializadas conveniadas à Prefeitura do Rio.

Equipes dos programas Rio Sem Pobreza e Família Carioca em Casa deram continuidade ao trabalho de cadastramento de famílias em situação de risco social no Cadastro Único de Programas Sociais (CadÚnico) do Governo Federal. Com o cadastro, as famílias poderão ser inseridas em programas e projetos desenvolvidos pelo município, tais como o Bolsa Família, Cartão Família Carioca, ProJovem Adolescente, Passe Livre para pessoas com deficiência, além de ações das esferas estadual e federal.

A programação teve ainda atividades lúdicas, esportivas e recreativas como a confecção de enfeites natalinos pelos próprios moradores e seus filhos. O encerramento aconteceu com a apresentação da Escola de Música da Rocinha, jovens do Ponto Cultura e Adolescentro, além de grupos de dança de rua das comunidades.