Familiares de cinegrafista morto fazem ato contra violência

Amigos e familiares do cinegrafista da TV Bandeirantes Gelson Domingos, que morreu em novembro após um tiroteio entre a polícia e bandidos no Rio de Janeiro, realizaram um ato contra a violência neste domingo na orla de Copacabana, no Rio de Janeiro. Um painel com nome de vítimas no Estado foi instalado no local e o nome de Domingos foi colado por uma colega de trabalho da emissora.

Domingos, 46 anos, morreu atingido no peito por um tiro de fuzil durante a cobertura de uma operação da Polícia Militar contra o tráfico de drogas na favela de Antares, em Santa Cruz, na zona oeste do Rio. O cinegrafista, que também trabalhava na TV Brasil, usava um colete à prova de balas, mas o projétil ultrapassou a proteção, que não suportava disparos de fuzil.