Governo promete urbanizar Rocinha com R$ 100 mi em três meses

O governo do Rio de Janeiro pretende implantar parque ecológico, creche, biblioteca e plano inclinado, semelhante ao existente no morro Dona Marta, na favela da Rocinha dentro dos próximos três meses, segundo anunciou nesta segunda-feira o secretário de Assistência Social, Rodrigo Neves. Para o cumprimento de uma dessas metas, 250 famílias deverão ser realocadas.

A urbanização da comunidade terá investimento de R$ 100 milhões, verba do governo estadual, segundo assessoria da secretaria. O secretário explica que o Estado trabalha no planejamento de ocupação da Rocinha há quatro meses. A primeira iniciativa será a regularização do abastecimento de água e correção de vazamentos. Cem homens da Companhia Estadual de Águas e Esgoto (Cedae) serão destacados para o trabalho.

O projeto de urbanização prevê a construção de um parque ecológico na área conhecida como Portão Vermelho, para isso 250 famílias devem ser reassentadas. A intenção do governo é levá-las para unidades habitacionais. No Largo do Boiadeiro a urbanização terá como complemento obras para prevenção de enchentes.

O plano inclinado, uma espécie de bondinho mais simples, será construído entre a saída do Túnel Zuzu Angel e a Rua 1. O equipamento terá capacidade para transportar 3 mil pessoas ao dia. Uma parceria com a iniciativa privada vai garantir preços compatíveis com a renda dos moradores para a instalação de TV por assinatura.

¿Vamos garantir a oferta de serviços legalizados por assinatura a preço acessível à população local, a R$ 29,90. Primeiro, vamos dar continuidade do acesso à população a serviços que eles tinham de maneira ilegal; segundo, vamos acabar com o serviço ilegal que alimenta o crime¿, afirmou o secretário.