Guinchos fazem fila para retirar motos abandonadas da Rocinha

Nas primeiras horas da ocupação da favela da Rocinha pelas forças de segurança do Rio de Janeiro, apoiadas pelos fuzileiros navais da Marinha brasileira, os policiais aprenderam neste domingo dezenas de motocicletas sem identificação, que serão levadas para o Pátio Legal, da Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA). Vários guinchos vazios estavam estacionados na estrada Lagoa-Barra, à espera dos veículos apreendidos pelos policiais.

Além das motos apreendidas, pelo menos duas foram incendiadas em frente à Unidade de Pronto Atendimento (UPA), próximo à entrada principal de São Conrado. O combustível e o óleo espalhados na pista dificultaram a entrada dos blindados do Bope, conhecidos como "caveirões".

Os militares também faziam buscas em algumas residências e tentam cumprir mandados de prisão expedidos pela Justiça.

Aos poucos, os moradores começaram a deixar as suas casas para retomar à rotina diária. Poucas lojas do comércio local decidiram abrir as portas, o que deve acontecer apenas à tarde, se o cenário permanecer tranquilo.