Coronel da PM acusado de matar juíza vai entrar com habeas corpus no STJ

A defesa do coronel Cláudio Luiz Silva de Oliveira, acusado de participação no assassinato da juíza Patrícia Acioli, informou hoje que vai entrar com um pedido de habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ). O pedido feito ao Tribunal de Justiça do Rio foi negado ontem.

O advogado Manoel de Jesus Soares disse que vai pedir a revogação da prisão ou a transferência de seu cliente do presídio de Bangu 1, o qual, segundo ele, é inadequado para o coronel. “Ele tem que ser transferido, na conformidade da lei, para uma unidade policial militar. Isso é o que a lei estabelece”, disse.

Oliveira, que é ex-comandante do Batalhão de São Gonçalo da Polícia Militar, e mais dez réus são acusados de terem matado a juíza criminal daquele município, Patrícia Acioli, em agosto deste ano. 

Sua prisão preventiva foi decretada em setembro deste ano, pela 3ª Vara Criminal de Niterói.