Começam a circular linhas de ônibus especiais em Santa Teresa

Começaram a circular nesta segunda-feira as duas linhas de ônibus que substituirão os bondinhos de Santa Tereza até que os tradicionais meios de transporte do bairro voltem a operar normalmente. A passagem custará R$ 0,60, o mesmo que era cobrado nos trens, e o serviço deve funcionar durante um ano e meio. O Consórcio Intersul de Transportes, escolhido para operar a linha, terá a diferença no valor da tarifa ressarcida pela prefeitura.

A criação das linhas foi uma determinação do prefeito Eduardo Paes em resposta à solicitação dos moradores, que argumentavam que o transporte no bairro ficou prejudicado desde que as composições pararam de funcionar, em agosto, quando seis pessoas morreram e mais de 50 ficaram feridas depois que uma das composições tombou e descarrilou no bairro.  

Cabral firma convênio com empresa portuguesa e promete bondes novos em 2013

O governador Sérgio Cabral afirmou na última quarta-feira que, com um investimento inicial de R$ 40 milhões, o Governo do Estado entregará à população do Rio de Janeiro um moderno sistema de bondes em Santa Teresa até 2013. Ele assinou, com o presidente da empresa Carris – que administra os bondes de Lisboa –, José Manuel Silva Rodrigues, um termo de cooperação técnica para a recuperação do sistema de um dos principais cartões-postais da cidade.

"Os técnicos da Carris vão nos ajudar a dar esse grande presente para a população do Rio de Janeiro e do Brasil. Nós passaremos o ano de 2012 inteiro nessa tarefa de renovação de trilhos, equipamentos e de compra de novos bondes. Temos separados, para começar, R$ 40 milhões para isso. Não vamos medir esforços. Em 2013, com certeza, entregaremos esse presente à cidade", disse Cabral.

O acordo foi firmado duas semanas depois de técnicos de três segmentos da Carris – rede aérea, bondes e via terrestre (trilhos) – irem ao Rio analisar o sistema e coletar informações que ajudaram a direcionar os próximos passos do trabalho com os bondinhos – que, inclusive, já foram administrados pela companhia nos anos 40. O governador destacou as semelhanças da operação de bondes em Lisboa e em Santa Teresa.

"Os bondes são uma marca que está no coração do povo do Rio. E existe uma grande identidade entre as ladeiras de Lisboa e as de Santa Teresa, esse convívio do carro com o pedestre e o bonde, as curvas, as ruas estreitas. É tudo muito parecido e a empresa resolve isso muito bem aqui. Agora, teremos essa qualidade técnica ao nosso lado", afirmou Cabral, que estava acompanhado do secretário de Estado da Casa Civil, Regis Fichtner, e do presidente da Companhia Estadual de Engenharia de Transportes e Logística (Central), responsável pela administração dos bondes de Santa Teresa, Eduardo Macedo.