Após 12 anos, estação de tratamento de esgotos de Sarapuí entra em operação

A Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) de Sarapuí, uma das mais importantes obras da Baixada Fluminense, entrou em funcionamento nesta terça-feira. A unidade da Nova Cedae - que recebeu investimentos de cerca R$ 200 milhões - beneficiará um milhão de moradores de Belford Roxo, São João de Meriti, Nova Iguaçu, Nilópolis e Mesquita. Construído há mais de 12 anos, o sistema de esgotamento sanitário nunca havia sido usada em decorrência da falta de tronco coletor principal.

- É uma alegria muito grande poder oferecer quase 100% de tratamento de esgoto. Já estamos em um nível de 800 litros por segundo e vamos chegar a 1.500 litros de esgoto/segundo. Em menos de cinco anos, nós mais do que duplicamos o tratamento secundário (que retira 98% das impurezas) na Baía de Guanabara. Isso é saúde pública, uma Baía de Guanabara que respira melhor - afirmou o governador Sérgio Cabral.

A estação também cumpre compromissos assumidos com o Comitê Olímpico Internacional (COI) para a realização dos Jogos Olímpicos de 2016. A moderna unidade de tratamento, que tem capacidade para tratar cerca de 1.500 litros de esgoto por segundo, contribuirá para qualidade da água da Baía de Guanabara e a revitalização do meio ambiente na região. Com a entrada em operação da Estação, na fase inicial, cerca de mil litros de esgotos “in natura” deixarão de ser lançados nos corpos hídricos locais.

- Essa estação junto com a ETE de Alegria, inaugurada há dois anos, fez com que o Rio de Janeiro saísse de dois mil litros de esgoto por segundo em tratado no regime secundário (que retira 98% das impurezas) para 6 mil. Em 2015, esse número chegará a 14 mil litros. É um bem muito grande para a Baía de Guanabara. Com a estação de Sarapuí, a cidade de Mesquita, por exemplo, passa de 0% para 35% de tratamento de esgoto. É a evolução do saneamento - explicou o presidente da Nova Cedae, Wagner Victer. 

A Estação Sarapuí realizará tratamentos primário e secundário. Além disso, a unidade de tratamento é dotada de três bombas de 400HP de potência e de inversores de frequência, que diminuem o consumo de energia elétrica. A ETE foi interligada ao interceptor de esgotos, que tem extensão de 6.330 metros e dois metros de diâmetro. Cerca de 13.500 metros de tronco coletores e 167 mil metros de redes coletoras de esgotos também foram instalados pela Nova Cedae.