Olimpíada de 2016 alterará trânsito do Rio por 60 dias

A Olimpíada do Rio de Janeiro, em 2016, alterará trânsito na cidade por 60 dias. Segundo Regina de Oliveira, a diretora de transportes do comitê organizador do evento, as modificações devem ser sentidas antes, durante e depois das competições. Serão 60 dias de mudanças no trânsito da cidade.

Durante o evento e a Paraolímpiada serão criadas faixas exclusivas para a circulação de atletas e jornalistas de todo o mundo. São os corredores para a "família dos jogos".

Regina Oliveira diz que o planejamento está sendo discutido e detalhado com outras autoridades municipais, como a Secretaria de Transportes e a Companhia de Engenharia de Tráfego.

No entanto, já ficou definido que as vias especiais começarão a funcionar no momento da chegada de atletas e jornalistas de todo o mundo.

A previsão inicial é que o corredor para a família dos jogos comece a ser usado 15 dias antes da inauguração da Vila Olímpica. A vila vai ser inaugurada duas semanas antes da abertura dos Jogos.

Antes do início oficial, as vias expressas não serão exclusivas, ou seja, poderão ser usadas tanto pelos motoristas comuns quanto por atletas, delegações e jornalistas.

Os horários que poderão ser usados por cada público ainda estão em análise. "A prefeitura está estudando os melhores horários. As mudanças no trânsito que vêm desde Sydney, na Austrália, deram certo. A expectativa agora é o que vai acontecer com Londres que tem muitas ruas estreitas¿, avaliou Regina Oliveira, que visitou a cidade inglesa recentemente para colher relatos e experiências

Durante a Olimpíada e a Paraolimpíada, o uso será exclusivo de atletas e delegações. "Durante os jogos serão faixas exclusivas, sendo 15 para a Olimpíada e 12 para a Paraolimpíada", explicou Regina Oliveira, ao afirmar que também depois dos eventos as faixas serão mantidas para facilitar a saída de jornalistas e delegações

Já foram mapeadas algumas vias expressas e a Linha Amarela, que corta boa parte da zona norte, e serão criadas as faixas exclusivas para atletas e delegações. Os BRTs, corredores para uso exclusivo de ônibus, também poderão ser usados pela "família dos jogos", segundo Regina Oliveira.

Ela afirma que a mobilidade urbana não será um problema dos jogos de 2016. "Teremos mais BRTs, e os transportes de massa vão ter uma cobertura maior de 11 para 44% da população", finalizou.