Uvas no calçadão de Copacabana?

Acreditem: no calçadão de Copacabana, em frente aos prédios que dão para a praia, encontram-se diversos exemplares de uva-de-praia (Coccoloba uvifera), uma espécie pouco conhecida entre nós, mas de propriedades muito interessantes e que se dá muito bem em ambientes tropicais de praia, como o nosso.

Os arbustos de uva-de-praia geralmente são confundidas com as amendoeiras (Terminalia catappa L.), que dominam as calçadas das nossa cidade, inclusive o calçadão de Copacabana. No entanto, essas duas árvores podem ser facilmente identificadas e separadas: a uva-de-praia, uma espécie perene, tem menor porte, suas folhas são rígidas e arredondadas, enquanto as da amendoeira são um tanto flácidas e ovais. Além do mais, as folhas da uva-de-praia têm nas costas belas nervuras avermelhadas, claramente visíveis. 

A uva-de-praia é uma espécie dióica, tal como o mamoeiro e o caqui, pois as flores masculinas e femininas brotam em indivíduos distintos, de modo que é necessária a polinização cruzada para a produção de frutos.  

Os pequeninos frutos da uva-de-praia se agrupam em cachos que lembram os da uva comum, daí o nome dessa árvore notável. Ao amadurecerem, esses frutos se tornam avermelhados e apresentam sabor levemente ácido e adocicado, quando podem ser consumidos in natura ou em forma de geléia. No Caribe essas árvores são conhecidas como "sea grape" e, tradicionalmente, se prepara a partir da fermentação das suas frutinhas um licor muito apreciado pelos turistas.

Com a sombra dos altos prédios do bairro, a uva-de-praia se torna suscetível ao fungo e muitos exemplares dessa bela árvores em Copacabana se encontram atualmente em situação lamentável. Uma ação da Comlurb se torna urgente e necessária para a preservação e mesmo a expansão do cultivo da uva-de-praia entre nós.