Prefeitura de Magé promete cadastrar famílias que moram no conjunto habitacional invadido

Moradores do conjunto habitacional, na Barbuda, em Magé, vivem na clandestinidade desde que invadiram há quatro meses as casas construídas pela prefeitura em parceria com a Caixa Econômica Federal.

Segundo o morador Jurandir Silva, os invasores querem regularizar a situação e pagar pela energia, mas não conseguem a retomar o fornecimento por causa da falta de documentação dos imóveis.

O Prefeito Nestor foi pessoalmente, na manhã desta quarta-feira (14) conhecer e ouvir os moradores e prometeu resolver os problemas fazendo o cadastramento dos imóveis àqueles que são cidadãos de Magé.

A assessora especial da Secretaria de Fazenda do Município, Maria Eugênia disse que para o cadastramento dos moradores será necessário de certidão de nascimento, casamento ou registro dos filhos registrados em Magé, comprovando assim o vínculo com o município.

O Secretário de Habitação do Município, Gustavo Macedo, prometeu que em três dias o registro será feito e que a partir desde documento os moradores terão direito ao relógio de baixa renda da Ampla, que fornecerá energia a preço popular ao conjunto habitacional.