Começa hoje a aferição de táxis especiais

O Ipem/RJ começa hoje a aferição de taxímetros dos chamados táxis especiais. Este ano, por motivo das inúmeras obras que estão sendo realizadas na Zona Norte e que poderiam trazer algum tipo de transtorno para os taxistas, a aferição será realizada no Autódromo Nélson Piquet, na Av. Abelardo Bueno s/n, em Jacarepaguá, com entrada pelo portão 7.   

Vale lembrar que os táxis especiais farão a vistoria nos dias 16, 17 e 18 e não precisam agendar o serviço, bastando apenas comparecer ao autódromo de acordo com o final de placa fixado no calendário divulgado.  

Já a aferição dos chamados “amarelinhos” começará no dia 22/8 e vai até o dia 8/12, também no Autódromo, das 10h às 17h e sem interrupção para o almoço.

Segundo a presidente do Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Rio de Janeiro (Ipem/RJ), Soraya Santos, existem hoje cerca de 36 mil táxis rodando em todo o estado, sendo 31 mil só na capital. A meta é a de realizar a aferição de mil veículos por dia. Além disso, para tentar dificultar, e consequentemente reduzir o número de táxis piratas que ainda teimam em circular pela cidade, o órgão está lançando um selo com um novo sistema de segurança que permitirá sua identificação somente pelos fiscais do órgão, que utilizarão um equipamento para realizar a leitura do código de barras, hologramas e demais lacres de segurança. 

Ela disse ainda que, para garantir que somente táxis legalizados façam a aferição, o Ipem, além de filtrar todo seu cadastro, cruzou informações com os demais órgãos e setores que envolvem a fiscalização.  

A presidente solicitou também que todas as prefeituras encaminhassem para o Ipem/RJ a relação dos táxis cadastrados em cada município.

Para realizar a aferição, é necessário que o taxista apresente o boleto de pagamento da Guia de Recolhimento da União (GRU) no valor de R$ 37,50 que pode ser paga em qualquer banco, certificado do taxímetro do ano passado, cópia do DUT, CRLV, certificado de seguro veicular com data de validade atualizada e foto para  - os carros que possuem GNV -, o cartão de identidade da SMTU, selo de lacre numerado retirado do taxímetro e caixa, guia de execução do serviço da oficina permissionária, comprovante de residência e número do agendamento gerado pelo atendimento telefônico ou internet, além da tabela original da SMTR.