Mulher percebeu assalto a ônibus no Centro e se recusou a entrar

A funcionária do Juizado de Menores Maria Auxiliadora desistiu de entrar no ônibus que foi assaltado no início da noite desta terça-feira, na Avenida Presidente Vargas, no Centro do Rio, e se livrou de virar refém dos bandidos. Já uma colega, não identificada, não teve a mesma sorte.

>> Termina assalto a ônibus com reféns no Centro

"Quando fizemos sinal para o ônibus, percebemos que o motorista estava estranho e fazia sinais para um policial na rua", disse Auxiliadora. "O ônibus parou, minha amiga entrou, e eu perguntei se estava tudo bem. Preferi não subir".

Segundo Auxiliadora, o coletivo permaneceu parado por alguns minutos, até arrancar.

"Foi aí que eu comecei a ouvir os tiros", conta. "Liguei, desesperada, para minha amiga, mas ela não atendeu. Graças a Deus, acabou tudo bem.

Outra testemunha da ação, o estudante da universidade Estácio de Sá Jéferson Gonçalves afirma que eram quatro os assaltantes, e que um deles deixou o veículo antes de seus comparsas decidirem seguir em frente.

Segundo Jéferson, motorista também conseguiu deixar o veículo, que passou a ser dirigido por um dos passageiros, sob a mira dos assaltantes.

Durante a perseguição policial, os assaltantes conseguiram passar por duas barreiras feitas pela polícia na Avenida Presidente Vargas, até serem parados numa terceira barricada.

Entre os feridos, há uma mulher com um tiro no peito, que foi encaminhada para o Centro Cirúrgico do Hospital Souza Aguiar. Um homem também deu entrada no hospital com um tiro no pescoço, e um outro, com um tiro no glúteo. Apenas a mulher corre risco de vida.

Segundo o coronel Mário Sérgio Duarte, comandante da PM, dois assaltantes foram presos, e havia cerca de 10 passageiros estavam no ônibus.