Prefeitura da início ao programa para recuperar 38 chafarizes no Rio

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria de Conservação e Serviços Públicos, está recuperando o chafariz do Mestre Valentim, na Praça XV, Centro da cidade. Outros 38 também serão revitalizados até o fim de 2011 e, além disso, programa também inclui manutenção permanente das obras. O Rio de Janeiro tem o maior e mais importante conjunto de chafarizes do Brasil, que inclui obras de artistas renomados dos períodos da Colônia, do Império e da República.  

O trabalho no chafariz do Mestre Valentim está sendo realizado pela Gerência de Monumentos e Chafarizes e inclui lavagem completa da peça, restauração das paredes para a eliminação de infiltrações, desobstrução do encanamento, retirada das pichações e das brotações. A previsão é de que o trabalho seja finalizado em até 15 dias úteis. Localizado no Centro Histórico da cidade, o chafariz foi restaurado pela última vez em 2005.

A obra para construção do chafariz teve início em 1779 e foi concluída em 1789. A peça tem forma de torre, com uma pirâmide em granito na parte superior que exibe detalhes em pedra de lioz portuguesa. Mestre Valentim, convidado pelo Vice-Rei D. Luís de Vasconcelos e Sousa para recuperar completamente a peça original de Brigadeiro Jacques Funk, acrescentou o brasão do vice-rei, em mármore branco, e duas outras peças em homenagem à Rainha D. Maria I.

Mais 38 chafarizes  da cidade, equipados com motores e comandos elétricos automatizados, serão recuperados até o fim deste ano, com limpeza, incluindo fundo dos lagos e das obras escultóricas, além da manutenção e substituição dos equipamentos.  A contratação de serviços de conservação já foi homologada e o valor do investimento é de R$ 1. 144.243, 24.

O objetivo é manter em funcionamento o maior número possível de chafarizes, entre eles o do Largo do Machado e da Praça Paris, na Zona Sul; a Praça Saens Peña, na Zona Norte, e do Pomar da Barra da Tijuca, na Zona Oeste. E ainda, em alguns casos, estender o horário de funcionamento noturno, como o chafariz da Praça Pio X, em frente à Candelária.