Prefeitura do Rio faz simulação de desastre ambiental em 20 favelas

Rio de Janeiro - A prefeitura do município do Rio de Janeiro fará hoje (3) um exercício simulado de desocupação em 20 comunidades que apresentam situação de risco em eventuais temporais.

A simulação ocorrerá simultaneamente em morros e favelas no entorno do Maciço da Tijuca, onde está instalado o sistema de sirenes, que são ativadas em casos de chuva.

Os moradores serão transferidos para áreas seguras mapeadas na região. O sistema funciona por meio da previsão de chuva forte feita pelo Centro de Operações Rio da prefeitura.

A ação contará com cerca de 800 agentes e 1,3 mil voluntários, que orientarão a população sobre as rotas de acesso até os pontos de apoio, que servirão de abrigo em caso de chuva forte. De acordo com a Secretaria de Saúde e Defesa Civil, aproximadamente 8 mil famílias residem em 7.830 imóveis nessas regiões.

Segundo o subsecretário municipal de Defesa Civil, Márcio Motta, essas simulações deverão ser feitas constantemente. “Isso é muito novo, é pioneiro no país. O grande desafio é fazer a informação fornecida pelos técnicos e pelos radares chegar até ponta do sistema. As pessoas não moram lá porque querem, mas porque não sabem [dos riscos]. Então, a gente tem que fazer essa informação chegar até elas e orientá-las sobre como proceder caso a sirene toque.”

Os agentes e líderes comunitários receberam um relatório fotográfico com as áreas de risco e cartilhas informativas com as orientações para a população.