Clínica para dependentes químicos atende primeiro usuário de oxi no Rio e diz que droga está disseminada

A apreensão de 18 pedras de uma droga ainda não identificada na terça-feira passada deixou o Rio de Janeiro em alerta. A perícia ainda não confirmou, mas tudo leva a crer que se trata da primeira apreensão de oxi no estado. 

No entanto, mesmo carente de registros oficiais, a nova droga já faz suas primeiras vítimas no Rio. Seus principais pontos de venda são a favela do Jacarezinho e a Mangueira (ambas na Zona Norte), onde a Polícia Militar fez uma série de operações no último fim de semana. 

– Fomos procurados por uma família  que tem um usuário de crack e oxi, foi nosso primeiro caso da droga – revela o psiquiatra Jorge Jaber, dono de uma clínica para tratamento de dependentes na Zona Oeste. – Pelo que sabemos dos usuários em tratamento, a chegada do oxi já é uma realidade no Rio de Janeiro.

>> Leia a reportagem completa no 'JB Premium'