Corpo de menino que fez transplante de coração é velado no Caju

Pai de Patrick pede que amigos e parentes usem branco

 

O corpo do menino Patrick Hora Alves, de 10 anos, - a primeira criança a receber um coração artificial no Brasil - está sendo velado desde o início da manhã desta sexta-feira (13) na capela 4 do Memorial do Carmo, no Caju, na Zona Portuária do Rio. O pai da criança, Luís Claudio Alves, pediu que os que quiserem dar o último adeus a Patrick usem branco. O corpo será cremado ainda nesta sexta.

Com complicações renais e cardíacas, o menino Patrick morreu na noite de terça-feira (10), 25 dias após um transplante de coração. Ele sofria de miocardiopatia desde seu nascimento e chegou a receber um coração artificial antes do último transplante. Após a cirurgia, a criança não respondeu bem ao tratamento e morreu.

O pai do menino ainda aguarda nota do hospital com a explicação do que teria causado a morte de Patrick. No entanto, segundo ele, entre as causas da morte estão choque cardíaco e insuficiência renal.

"Meu filho foi um guerreiro. O sofrimento dele e de toda a família é muito grande", lamentou o pai.

O Instituto Nacional de Cardiologia (INC) informou, através de nota, que Patrick morreu de falência múltipla de órgãos, decorrente de uma infecção provocada por uma pneumonia. O menino sofria de miocardiopatia restritiva. Desde então, ele teve dois coágulos no coração e o órgão acabou se deteriorando, após uma das cirurgias para a retirada do coágulo.