Lei de cadastro para venda de solventes não é cumprida no Rio

Repórter do 'JB' compra com facilidade a droga mais usada por meninos de rua

Com a explosão do consumo de solvente por menores nas ruas do Rio, o Jornal do Brasil visitou algumas lojas para comprovar a facilidade com que se tem acesso ao produto, negociado como droga por atravessadores. Embora a legislação obrigue o cadastramento do comprador no ato da compra, na prática a história é outra.

Nas duas lojas  visitadas, não houve dificuldade para comprar o produto, e não foi exigido qualquer dado para cadastro. Num dos estabelecimentos, o vendedor perguntou apenas o primeiro nome do  repórter:

– É para o cadastro?

No que o vendedor respondeu com naturalidade:

– É sim. Mas basta seu primeiro nome. Eu vou colocar na conta de alguém já cadastrado.

>> Leia a reportagem completa no JB Premium