Depois de tragédia em Realengo, bomba caseira é jogada em outra escola

RIO - Depois da tragédia na Escola Tasso da Silveira, em Realengo, na Zona Oeste do Rio, que deixou pelo menos 12 mortos e 18 feridos, dois jovens atiraram uma bomba de fabricação caseira na Escola Municipal Mafalda Teixeira de Alvarenga, na Rua José Francisco Porto, no bairro Rio da Prata, em Campo Grande, também na Zona Oeste.

Quatro alunas ficaram levemente feridas por estilhaços. Elas foram levadas para o Hospital Rocha Faria. O incidente ocorreu durante a recreação. Os dois agressores fugiram do local.

O secretário de Saúde do Rio, Sérgio Côrtes, confirmou que das 11 crianças que morreram na Escola Tasso da Silveira, dez são meninas. As crianças tinham entre 12 e 14 anos. Há ainda o registro de 12 alunos feridos.

Na manhã de hoje, um ex-aluno da escola localizada em Realengo, entrou na instituição com duas pistolas e foi direto a uma sala de aula, no terceiro andar, onde fez os disparos.

Todas as vítimas foram socorridas por ambulâncias do Corpo de Bombeiros e levadas para o Hospital Estadual Albert Schweitzer. Segundo Sérgio Côrtes, três delas foram operadas e passam bem. Os casos mais graves foram transferidos para os hospitais Pedro Ernesto e Saracuruna, além do Hospital-Geral da Polícia Militar e para o Instituto de Traumatologia. A lista com o nome das vítimas ainda não foi divulgada.