Alerj mantém veto do governador ao projeto que defende a UPP como política de Estado

A Assembleia Legislativa analisou em sessão na tarde desta quarta feira (6) o veto do governador Sérgio Cabral a diversos pontos do projeto de lei nº 2966/2010, de autoria do deputado Alessandro Molon (PT) que garantia a presença das Unidades de Polícia Pacificadora por pelo menos 25 anos nas comunidades antes dominadas por grupos de criminosos.

A Alerj manteve os vetos do governador. A deputada Clarissa Garotinho (PR) foi a única deputada a votar a favor do projeto original do deputado Molon. Clarissa explicou que essa é uma oportunidade para transformar a política de pacificação que vem sendo aprovada pela população em uma política de Estado e não de governo.

Veja alguns pontos do projeto do Alessandro Molon (PT) que o governador se manifestou contra:

1 – Impedimento de redução do efetivo e de estrutura física.

2 – Impossibilidade de interrupção do funcionamento da política de pacificação por 25 anos.

3 – A cada 5 anos de ocupação será promovido estudo para avaliar índices de criminalidade local.

4 – divulgar ao máximo nas UPP’s o telefone das ouvidorias de polícia.