Estado tem plano para melhorar fisicamente todas as escolas da rede

RIO - Agentes das divisões de conservação da Empresa de Obras Públicas do Estado do Rio de Janeiro (Emop) e os novos diretores regionais administrativos da Secretaria de Estado de Educação, aprovados por meio de processo seletivo, se reuniram na segunda-feira para aprimorarem a operacionalização do plano integrado entre a secretaria e a empresa de melhoria física de todas as escolas da rede estadual de ensino. A meta é que, até o fim deste ano, não haja mais escolas classificadas como ruins ou péssimas, o que significa 23% da rede. O ideial é chegar a 2014 com todas as escolas em boas ou ótimas condições.

Para o desenvolvimento do trabalho conjunto, a Emop elaborou uma planilha que classifica as escolas segundo o IGAI – Índice Geral de Avaliação do Imóvel. Este índice pontua as escolas em notas de 1 a 5, após a avaliação de 25 itens, relacionados ao estado de conservação. Após a avaliação de todos os itens, por meio de média ponderada, chega-se a um novo índice – o IGE (Índice Geral de Edificações), que aponta o estado geral da escola.

Durante a reunião, o secretário de Educação, Wilson Risolia, disse que, atualmente, não existe, no Brasil, nenhum trabalho de análise de escolas tão aprofundado como este. Já o presidente da Emop, Ícaro Moreno Júnior, pediu o empenho de todos os agentes envolvidos, para que, de uma vez por todas, o desafio de se ter um aprendizado em prédios públicos de qualidade possa ser alcançado.