Ministério Público denuncia falso Coronel que comandou blitz da PM na Ilha do Governador

O Titular da 30º Promotoria de Justiça de Investigação Penal, Promotor de Justiça Sauvei Lai, ofereceu, nesta segunda-feira (28), denúncia contra Carlos da Cruz Sampaio Júnior, que se fez passar por Tenente-Coronel para usar arma de fogo e comandar uma operação da Polícia Militar em agosto do ano passado. O denunciado vai responder por porte ilegal de arma de uso restrito e por atribuir a si próprio ou a terceiros falsa identidade para obter vantagens.

De acordo com a denúncia, Sampaio apresentou-se no 17º Batalhão de Polícia Militar, em 4 de agosto de 2010, vestindo uniforme militar, com a identificação “Coronel Sampaio” e o crachá da Secretaria de Estado de Segurança Pública. Em seguida, obteve junto ao Batalhão e mediante cautela, arma de fogo e munições (fuzil M16, calibre 556) de propriedade da PM, sem a devida autorização legal ou regulamentar. 

O falso Coronel também comandou Policiais Militares em uma blitz realizada na Avenida Magistério, em Moneró, Ilha do Governador. Após a referida operação, que resultou na morte de um suspeito de roubo, Sampaio apresentou-se à 37ª DP (Ilha do Governador) para a confecção do Registro de Ocorrência, portando documento obtido de forma fraudulenta. 

O denunciado recusou-se a responder as perguntas que lhe foram feitas na delegacia. Segundo Sauvei Lai, Sampaio está incurso em crimes por infringir o artigo 16 da Lei 10.826/03, que trata do porte ilegal de armas de uso restrito, e o artigo 307 do Código Penal Brasileiro, que dispõe sobre falsa identidade. 

“O Ministério Público está dando uma resposta severa a esta pessoa desajustada que ofereceu risco à comunidade da Ilha do Governador”, afirmou o Promotor Lai.