BNDES financia recuperação de museus no Rio

Rio de Janeiro - Recursos não reembolsáveis do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no valor de R$ 6,2 milhões, vão possibilitar a recuperação de encostas do Museu da Chácara do Céu, em Santa Teresa, e do Museu do Açude, no Alto da Boa Vista, atingidos pelas chuvas de abril do ano passado. O temporal começou no dia 6 de abril e foi considerado o maior dos últimos 44 anos, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). As unidades integram os museus Castro Maya.

O contrato será firmado amanhã (28). O Ministério da Cultura investirá os R$ 4,8 milhões restantes, necessários à complementação das obras, informou o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram).

A diretora dos Museus Castro Maya, Vera de Alencar, disse que o aporte financeiro do BNDES possibilitará a construção do anexo do Museu da Chácara do Céu e o novo acesso para o público.

A construção do anexo visa a dar condições de o museu ser uma unidade moderna, com todas as facilidades para o público. O prédio foi construído nos anos de 1950 para ser a residência do industrial Raymundo Ottoni de Castro Maya. O projeto prevê adaptações para facilitar o acesso de pessoas com deficiências.

O museu passará a ter uma reserva técnica, sala para atendimento a pesquisadores e auditório, além de um acesso para pedestres, por meio de um plano inclinado. “Vai ter todas as facilidades para os visitantes”, disse Vera. Ela espera que as obras sejam iniciadas no segundo semestre. A conclusão é prevista para o final de 2012.

O acervo do Museu da Chácara do Céu inclui coleções de arte europeia e brasileira, entre as quais se destaca um conjunto de obras de Portinari, considerado atualmente o maior acervo público do artista. Na Biblioteca Castro Maya, podem ser encontrados 8 mil títulos de várias procedências e épocas.

Os Museus da Chácara do Céu e do Açude e seus acervos foram doados pelo industrial Castro Maya à fundação que ele criou em 1962. Posteriormente, em 1983, a fundação foi assumida pelo governo federal. Hoje, os museus fazem parte do Instituto Brasileiro de Museus do Ministério da Cultura (Ibram/Minc).