Após tumultos, prefeito volta atrás e reabre Terminal Misericórdia

RIO - Após os tumultos provocados na manhã desta quinta-feira por passageiros revoltados com o fechamento do Terminal Misericórdia, na Praça XV, o prefeito Eduardo Paes voltou atrás e mandou reabrir o local imediatamente. Paes chegou a um acordo com o presidente do Tribunal de Justiça, Luiz Zveiter, autor da decisão de fechamento do Terminal para a realização de obras de urbanização.

A prefeitura terá 30 dias para encontrar uma solução para que o funcionamento do terminal possa conviver com as obras de reurbanização da área.

O fechamento

A prefeitura do Rio fechou esta madrugada, sem qualquer aviso prévio, o Terminal Misericórdia,  nas proximidades da Praça XV, no Centro do Rio. A medida foi determinada pelo presidente do Tribunal de Justiça do Rio, Luiz Zveiter, que quer construir uma praça no local.

- A desativação do terminal foi um antigo pedido meu ao prefeito Eduardo Paes. Ele prometeu fechar o local ainda durante o meu mandato na presidência do TJ, que termina nesta sexta-feira. O local será arborizado e revitalizado - disse Zveiter.

Cerca de 50 mil usuários do terminal seriam prejudicados com o fechamento. Esta manhã, alguns passageiros de ônibus que fazem ponto final no local ficaram revoltados com a falta de informação e promoveram um pequeno tumulto, logo controlado por guardas municipais e policiais militares.

O Terminal Misericórdia foi cercado com tapumes. Os coletivos que faziam ponto final no terminal passariam a ser circulares, sendo impedidos de parar.

O fechamento do terminal aconteceu por volta das 5h desta quinta-feira, quando agentes de segurança e PMs pegaram de surpresa os rodoviários e usuários dos ônibus. Um tumulto maior poderia ocorrer ainda esta tarde, quando milhares de pessoas embarcam com destino à Zona Oeste e para municípios do Grande Rio.