Ministério Público acusa deputado Jorge Babu de improbidade administrativa

 

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) entrou, nesta segunda-feira, com uma ação acusando o ex-vereador e deputado estadual do Rio de Janeiro Jorge Babu por ato de improbaidade administrativa. Babu já tem condenações por formação de quadrilha e por ter recebido propina para liberar a realização de bailes funk, segundo informações do MPRJ.

O MPRJ instaurou inquérito para apurar uma denúncia de que Babu, enquanto vereador, teria se apropriado indevidamente de R$ 4.960,63 devidos pela Câmara Municipal a um ex-assessor seu, Alexandre da Silva. Mas, ao investigar o caso, deparou-se com um esquema de recolhimento de vencimentos de assessores, que alcançava a quantia de RS12 mil por mês.

Alexandre da Silva foi contratado para exercer cargo comissionado no gabinete de Babu. Porém, era obrigado a repassar ao político cerca de R$ 2,5 mil, ficando com apenas R$ 500 dos seus vencimentos. Alexandre reclamou com o ex-vereador e foi exonerado. Uma semana depois, foi readmitido sem saber, apenas para que Babu pudesse retirar o dinheiro referente ao 13º salário do assessor.

Babu, conforme denúncia, falsificou a assinatura de Alexandre em cheques e documentos, e o dinheiro foi depositado na conta de uma empresa de informática. Nos pedidos da ação, o Ministério Público requer à Justiça que obrigue o ex-vereador a reparar integralmente os danos causados ao Patrimônio Público e que devolva o dinheiro obtido de forma ilegal. O MP indica também que Babu perca a atual função pública e tenha seus direitos políticos suspensos por até 10 anos.

Por último, requer o Ministério Público que seja fixada uma multa civil ao acusado e que ele fique proibido de fechar contratos com o Poder Público ou receber benefícios e incentivos fiscais, direta ou indiretamente, também por um período de 10 anos.