RJ: professora acusada de abusos nega crime, diz advogado

 

RIO - O advogado da professora suspeita de abusar sexualmente de uma aluna de 13 anos no Rio de Janeiro, Edson Gama, afirmou que sua cliente “nega tudo" e não confessou o crime. A informação contraria o que disse o delegado Ângelo Lages Machado, da 33ª Delegacia da Polícia Civil. Segundo a delegacia, a mulher de 33 anos disse aos agentes que quer uma relação séria com a aluna, porque "gosta muito" dela.

De acordo com a polícia, a professora de matemática, que é casada e não tem filhos, foi presa em flagrante por volta das 4h de quarta-feira na casa de sua mãe. Ela é acusada de abusar de uma aluna de 13 anos, que estava desaparecida desde segunda-feira. A suspeita foi autuada pelos crimes de estupro de vulnerável e corrupção de menores, podendo pegar de 15 a 30 anos de prisão. A menina vai realizar exames de corpo de delito. A polícia agora procura por outra adolescente, da mesma idade, que também teria mantido relações com a professora.

A polícia chegou até a casa de Cristiane após a denúncia da mãe da menor sobre o desaparecimento da filha. A mulher informou que as duas poderiam estar juntas. Quando os policiais chegaram ao local descobriram que a professora também estava sumida desde segunda-feira. Cristiane foi encontrada na casa de sua mãe e a menina estava pelas ruas próximas ao local.

De acordo com a polícia, a professora confessou sua relação com a aluna e disse que tudo havia começado em março deste ano. Cristiane ainda teria declarado que os encontros aconteciam em seu carro e, depois, em locais públicos e motéis. A professora ainda teria pedido à menor que levasse outra amiga aos encontros. A aluna confirmou a versão.

A mãe da menor informou que soube do caso da filha no início do ano letivo, através de mensagens em seu caderno e no celular. Procurado pela mãe, o diretor da escola pediu encerramento do caso e transferência da professora. O delegado Ângelo Lages irá pedir um depoimento do diretor.

Com informações Portal Terra