Localizada segunda adolescente assediada por professora de matemática

 

Foi localizada, nesta quinta-feira, a segunda menina de 13 anos que teria se relacionada com a professora de matemática acusada de pedofilia. Ela trabalhava em uma escola municipal de Realengo (Zona Oeste).

A professora, de 33 anos, foi presa ontem e indiciada sob suspeita de estupro de vulnerável e corrupção de menores.

De acordo com a polícia, a professora confessou manter relacionamento com uma aluna - também de 13 anos - desde maio deste ano, mas o advogado de defesa diz que ela nega.

A adolescente localizada hoje foi encaminhada para depoimento. Segundo o delegado titular da 33ª DP, Angelo Jose Lages Machado, o depoimento da menina coincide com a versão dada à polícia, segundo ele, pela professora e pela outra aluna, que estavam desaparecidas desde a última segunda-feira (25).

A professora foi transferida na tarde desta quinta-feira da carceragem da delegacia para a ala de custódia do presídio Bangu 8. O diretor da escola e proprietário do motel para onde a professora supostamente levava as meninas serão ouvidos na semana que vem. 

Professora de matemática diz ter pedido a mãe de aluna para namorar a jovem

Suspeita de manter relações sexuais com duas alunas de 13 anos, a professora de matemática Cristiane Teixeira Maciel Barreiras, 33 anos afirmou nesta quinta-feira ter procurado a mãe de uma das jovens para pedir consentimento para namorar a menina.O que, de acordo com a acusada, foi negado. Ela afirmou também que não se considera pedófila, pois se apaixonou pela aluna.

Ela acusou a mãe de uma das meninas de agredir a adolescente e sua irmã caçula. A professora ainda chorou ao demonstrar preocupação com a jovem que, segundo a educadora, sofria constantes maus tratos da mãe, que seria alcoólatra.

A suposta pedófila foi presa na madrugada de quarta-feira, em Realengo (Zona Oeste). Hoje, ela será transferida para o presídio de Bangu. Segundo a polícia, o diretor do colégio e o gerente do motel frequentado pela aluna e pela professora só deverão ser ouvidos na semana que vem.

Ontem, a professora afirmou que pretendia continuar a relação amorosa com sua aluna. Ela disse que os primeiros encontros ocorreram em seu carro, perto do colégio. Depois, as duas passaram a frequentar motéis e ir até a casa da professora quando o marido dela não estava. A mulher foi autuada por estupro de vulnerável e corrupção de menor, com agravante de ser professora da vítima.

A mãe da jovem disse à polícia que sabia do relacionamento havia quatro meses. Ela fez uma denúncia à 8ª Coordenaria Regional de Educação (CRE) e procurou a direção da escola, que teria pedido que não levasse o caso adiante, pois a professora seria transferida. Segundo a Secretaria Municipal de Educação, a professora está afastada desde o mês passado e uma sindicância foi aberta.