Procuradora é condenada a oito anos e quatro meses por tortura a criança que adotaria

A 4ª Câmara Criminal do TJ acaba de confirmar por maioria a sentença por tortura e com pena de 8 anos  e 4 meses de prisão da procuradora  Vera Lúcia de Sant’Anna Gomes – aquela que maltratou fisicamente a criança que adotara.

Com um  voto contrário do desembargador Francisco Azevedo, que desclassificou para maus tratos. A decisão cabe recurso.

 

O caso

A menina de 2 anos estava em processo de adoção pela procuradora, quando seus empregados denunciaram os maus tratos. Ela era constantemente agredida física e verbalmente por Vera Lúcia. Uma gravação mostrou a procuradora  chamando a menina de "vaquinha" e tentando forçar ela a se alimentar.

"Ela passou por todas as etapas e foi considerada apta. O que aconteceu foi um choque para todos. O processo de adoção tem que ser por amor e não por ver a criança como uma mercadoria que você pega da prateleira para experimentar. Mais de 90% dos casos são bem sucedidos. O pior desse caso é que tinha um casal também habilitado e muito interessado pela menina", disse, na ocasião, a magistrada Ivone Ferreira Caetano.