Paes diz que Rio vive 'momento ruim' na segurança pública

RIO - Nesta sexta-feira o prefeito do Rio, Eduardo Paes, concedeu entrevista na qual afirmou que a cidade vive "um momento ruim" no que se refere à segurança pública. Ele destacou que a preocupação com segurança é uma questão permanente e que a política de segurança do estado é apoiada pela prefeitura, ao comentar as recentes ondas de violência na cidade.

- Preocupação com segurança a gente sempre tem. Hoje temos uma política de segurança clara, que tem respaldo e apoio da prefeitura. Este é um momento ruim e quem tem que dar, e certamente dará, explicação é a autoridade de segurança pública, em especial o secretário Mariano (José Mariano Beltrame). Ele conta com o apoio do município - afirmou Paes.

O prefeito destacou que a prefeitura já contribui com a segurança através das ações da Secretaria Especial da Ordem Pública. Para Paes, o papel do município  é complementar.

- A operação Duas Rodas, por exemplo, tem apoio nosso com agentes e reboques. A gente entende que a prefeitura, através sobretudo da Ordem Pública, tem um papel complementar na ação de segurança pública. 

Arrastão na Paulo de Frontin

 

Em menos de 12 horas, bandidos armados fizeram o segundo arrastão no Elevado Paulo de Frontin, no Rio Comprido. Por volta de 7h30 desta quarta-feira (6), quatro homens aproveitaram o trânsito lento no sentido Centro e assaltaram vários motoristas, levando os pertences das vítimas e a chave de um carro. No começo do elevado, na altura do Centro existe uma cabine da PM.

Dois carros foram abandonados, mas a Polícia Militar ainda não sabe se os carros foram abandonados pelos bandidos ou pelas vítimas. Um dos carros foi encontrado na descida do elevado em direção à Avenida Francisco Bicalho, no Santo Cristo e o outro ficou atravessado na pista do elevado.

Por volta das 19h45 desta terça-feira (5), no mesmo local, cinco homens armados com pistolas roubaram um carro, a chave de outro veículo e os pertences de outras sete pessoas que estavam presas no engarrafamento. Os criminosos estavam em um Ford Focus, que também foi abandonado na fuga.

A administradora do Túnel confirma os assaltos e afirma que alguns motoristas ficaram assustados e abandonaram os carros. Técnicos da CET-Rio (Companhia de Engenharia Tráfego) e policiais do 1º BPM (Estácio) e do 23º BPM (Leblon) também foram chamados. Os PMs ainda fizeram um cerco aos bandidos e buscas nas duas saídas do Rebouças, mas eles conseguiram fugir.

A polícia desconfia de que os responsáveis pela onda de arrastões que atinge a cidade sejam membros de uma família de assaltantes do Catumbi. Nos últimos dias, já houve nove arrastões nas vias do Rio.

Onda de arrastões

Moradores de Laranjeiras reclamam de arrastão na Rua Presidente Carlos de Campos por volta das 6h15 da manhã desta terça-feira (5). Um homem que teve o carro roubado teria levado uma coronhada dos assaltantes.

No Jardim Botânico bandidos fizeram quatro vítimas na manhã de quarta-feira (29). Os assaltantes levaram objetos pessoais e dinheiro, além de um carro. 

Na noite de terça-feira (28), cerca de 15 bandidos armados bloquearam uma rua no Jacaré com um carro e assaltaram quatro carros que vinham atrás em menos de 10 minutos. Um homem teve o carro roubado no Lins por cinco bandidos armados. Ainda na terça-feira, em Anchieta, três carros foram roubados. Em outro ponto da cidade, na Pavuna, um policial militar reagiu a tentativa de assalto a uma padaria. Ele ficou ferido e matou um dos assaltantes na troca de tiros.

Em Nova Iguaçu, um idoso de 67 anos, foi feito refém durante ação na manhã de terça-feira (28) em que assaltantes levaram dois carros. Depois de uma hora, ele foi liberado e voltou para casa de táxi sem ferimentos.

Na segunda-feira (27), na Estrada do Joá, em São Conrado quatro pessoas foram assaltadas. De acordo com a PM, o grupo era formado por assaltantes da Rocinha.