Justiça do Rio restabelece internação de jovens que mataram idosa

A Justiça do Rio de Janeiro divulgou nesta sexta-feira que acatou recurso do Ministério Público e restabeleceu a internação dos dois adolescentes acusados de matar a idosa Wangy Lobato Carbone, 70 anos, avó de um dos infratores. O Tribunal entendeu que a decisão de primeira instância que suspendeu a internação dos dois "significa um estímulo à delinquência".

A idosa foi morta a pauladas e facadas pela neta e o namorado, que afirmaram ter cometido o crime, segundo a Justiça, com a intenção de roubar as economias que ela guardava no armário para comprar uma moto. Na liminar que restabelece a internação, o fato de não haver divergência quantos aos indícios de autoria do crime é destacado.

A promotora Carla Cruz, de Nova Iguaçu, recorreu na segunda-feira da decisão da Vara de Infância e Juventude do município para desinternar os dois menores. Ela afirmou que a internação por apenas 15 dias, depois do cometimento de um ato infracional gravíssimo, não seria bom nem para os adolescentes nem para a sociedade. "O que esperamos é que, no julgamento dos adolescentes, sejam aplicadas as medidas socioeducativas adequadas à gravidade do ato cometido", disse a promotora.