Dia da Criança: Ipem/RJ apresenta hoje brinquedos apreendidos

      RIO - Durante 15 dias, fiscais da Superintendência de Qualidade do Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Rio de Janeiro (Ipem/RJ) visitaram lojas de varejo e shoppings da Zona Norte, Zona Sul, Zona Oeste e Centro da cidade, além de Niterói e São Gonçalo, para verificar se a qualidade e procedência dos brinquedos expostos estavam dentro das normas de seguranças estabelecidas por lei. Nesse período, foram visitadas 121 lojas, sendo que em vinte e duas delas os fiscais encontraram erros. Eles verificaram um total de 59.963 brinquedos, sendo que 1.102 apresentaram algum tipo de irregularidade.

A falta de certificação do Inmetro e de informações básicas sobre os produtos estão entre as principais irregularidades encontradas. Já os 262 dispositivos de retenção para crianças que são usados nos veículos, e que foram verificados durante a operação, não apresentaram nenhum tipo de erro.

Para explicar os cuidados que os pais devem ter na hora da compra, a presidente do Ipem/RJ, Soraya Santos, apresenta nesta quinta-feira, às 9h, na sede do órgão, na Rua Padre Manoel de Nóbrega, 539, em Piedade, os brinquedos que foram apreendidos durante a operação. - É necessário que os pais fiquem atentos na hora da compra e só levem para casa os brinquedos que possuam a marca do Inmetro na embalagem, pois ela é a garantia de qualidade do produto – afirmou Soraya Santos.

A presidente do Ipem disse ainda que algumas observações devem ser feitas pelos responsáveis na hora da compra como, por exemplo, a identificação do fabricante, do importador e as advertências quanto ao seu uso, que devem estar impressas com letras legíveis e em língua portuguesa.

O consumidor deve verificar ainda se o produto que está sendo comercializado é adequado para a idade da criança, já que alguns brinquedos, mesmo aqueles certificados pelo Inmetro, possuem restrições de uso para determinada faixa etária. - Alguns cuidados devem ser tomados antes de entregar o brinquedo, como ler as instruções de montagem e uso, retirar grampos das embalagens e manter fora do alcance os sacos plásticos utilizados na embalagem - alerta Soraya.

Os lojistas que tiveram seus produtos apreendidos terão um prazo de 15 dias para apresentarem a nota fiscal de origem e compra. Caso contrário, serão autuados e poderão receber multa de até R$ 30 mil.