Projeto incentiva empreendedorismo nas comunidades pacificadas

O Sebrae/RJ apresenta nesta segunda-feira (27), o Programa Sebrae nas Comunidades Pacificadas. O objetivo é desenvolver o empreendedorismo nas 12 comunidades que receberam UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora), gerando emprego e renda para os moradores locais. A apresentação será às 19h30, no Casa Cor, onde há espaços que foram decorados com objetos criados por artesãos de comunidades do estado do Rio de Janeiro.

O programa inclui um diagnóstico em cada comunidade, para identificar as potencialidades – ou seja, os segmentos que podem ser trabalhados, a fim de gerar renda para a população; um levantamento do perfil dos empreendimentos já existentes; a realização de cursos e palestras sobre gestão empresarial, de acordo com o perfil e necessidades de cada comunidade, além de incentivo à formalização dos empreendedores locais. Todo o trabalho e a definição das ações a serem implementadas são realizados em parceria com as lideranças e associações presentes na comunidade.

- A chegada das UPPs é o primeiro passo para promover uma verdadeira revolução nessas comunidades. Primeiro, o estado chega com a sua presença, com a segurança e, a partir daí, milhares de novas possibilidades se abrem. O Sebrae/RJ estará nessas comunidades para incentivar o empreendedorismo e auxiliar os empreendedores que já atuam nessas localidades, garantindo que se formalizem, cresçam e prosperem – explica o diretor-superintendente do Sebrae/RJ, Sergio Malta.

No Santa Marta, por exemplo, primeira a receber uma UPP, os moradores recebem orientações sobre como promover com o turismo na comunidade, que é a principal vocação local. Além de treinar 50 moradores para atuarem como monitores de turismo local os cursos também ajudaram a desenvolver roteiros comerciais para serem oferecidos pelas operadoras aos interessados.

- A Secretaria de Estado de Turismo identificou 30 pontos de interesse turístico e cultural no Santa Marta. Com base nestes pontos, montaremos roteiros sob medida, que podem incluir visitação a alguns desses locais, almoço num restaurante ou bar da comunidade, entre outras atividades - explica Malta, ressaltando que também será trabalhado com os moradores o segmento de artesanato na moda, com capacitação e consultoria em design, para garantir inovação nas peças.

Cidade de Deus, Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, Chapéu Mangueira e Babilônia e Borel já receberam o projeto.Nos próximos meses será a vez de Formiga, Andaraí, Providência, Salgueiro, Jardim Batan, Ladeira dos Tabajaras e Cabritos e Turano.

- O importante é incentivar o empreendedorismo com base nas vocações dessas comunidades. No Santa Marta, por exemplo, o turismo é focado na beleza natural e nos mirantes naturais, já na Providência o foco será o turismo histórico. Aproveitaremos essas potencialidades para criar oportunidades de geração de negócios e renda para os moradores desses locais – finaliza Malta.