Rio: polícia anuncia delegacia para apurar brigas de torcida

Portal Terra

RIO DE JANEIRO - O chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Allan Turnowski, anunciou nesta quarta-feira que será inaugurada, em breve, a Delegacia de Ordem Pública, especializada que, entre suas atribuições, vai monitorar as ações de gangues de integrantes de torcidas organizadas no entorno de estádios. Hoje, uma operação prendeu 12 membros de torcidas, entre eles um policial militar.

"Essa especializada atuará em sintonia com as delegacias distritais para troca de informações", disse Turnowski. Ele informou ainda que um grupo de delegados realiza cursos no exterior para especialização nesse tipo de investigação.

As investigações tiveram por base um inquérito aberto em março para apurar a morte de um torcedor da 7ª Família, torcida jovem do Vasco, que teria sido atacado por integrantes do 8º Pelotão, torcida jovem do Flamengo. Na ocasião, três outros torcedores do Vasco foram baleados.

A operação Hooligans foi realizada para desarticular duas quadrilhas de torcidas organizadas envolvidas em brigas que resultaram em homicídios e lesões corporais. Foram apreendidas oito máquinas caça-níqueis, notebooks, celulares e camisas com alusões às torcidas organizadas do Vasco e do Flamengo.

"De agora em diante haverá mais ações sistemáticas e rigorosas para identificar e prender esses quadrilheiros", disse Allan Turnowski em coletiva concedida à imprensa. De acordo com o titular da 73ª DP, que investigou a morte do torcedor, delegado Luiz Antônio Ferreira, as investigações sobre as duas gangues continuam para localizar e prender outros suspeitos de crimes. "Pelo menos mais 40 pessoas já estão identificadas como suspeitos de envolvimento com essas quadrilhas", disse.