Inventário da arte sacra fluminense ganha site

JB Online

RIO - O Portal para Consulta Pública do Inventário da Arte Sacra Fluminense e do Banco de Bens Culturais Procurados - BCP, iniciativa da Secretaria de Estado de Cultura, através do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural/Inepac, em parceria com o Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Rio de Janeiro (PRODERJ), será lançado hoje durante a cerimônia de abertura do I Seminário Internacional de Arte Sacra da Faculdade de São Bento do Rio de Janeiro.

A solenidade acontecerá às 19h no Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro - Rua Dom Gerardo, 68 - Centro - Rio de Janeiro RJ. Haverá, ainda, o Ofício de Completas (oração dos monges beneditinos) e o concerto Música nas Igrejas , do Trio Cristina Braga.

Comparecerão autoridades e representantes do campo do patrimônio e da cultura.

O portal da Arte Sacra Fluminense (www.artesacrafluminense.rj.gov.br) é produto da política implantada pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC), através do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural/Inepac, para uma gestão mais eficaz de proteção ao acervo que compõe nosso patrimônio histórico e artístico. Através deste endereço, os usuários poderão acessar duas bases de dados: o Inventário da Arte Sacra Fluminense e o Banco de Bens Culturais Procurados-BCP.

Com o objetivo de preservar o patrimônio histórico do Rio de Janeiro e procurando utilizar as ferramentas mais modernas no universo da Internet, o moderno banco de dados e imagens, desenvolvido pelo Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Rio de Janeiro (PRODERJ), permite o cadastramento do acervo do patrimônio histórico e certifica a conservação da história do Rio. Através do portal, a população pode acessar, a qualquer momento, as informações de cada peça.

No conjunto do patrimônio histórico e artístico brasileiro, uma das categorias de bens móveis que mais tem sido alvo de cobiça dos traficantes de obras de arte nos mercados nacionais e internacionais são os objetos de arte sacra. Os constantes saques a igrejas refletem a necessidade de se implantar um inventário de salvamento, com fins de identificação do estado de conservação e dos potenciais do patrimônio cultural fluminense, permitindo, assim, uma atuação mais eficaz para evitar seu alienamento ilícito - e mais agilidade na apuração de roubos e outros sinistros.

Nesse sentido, as duas plataformas se complementam, uma vez que a base do Inventário contempla os objetos já identificados e devidamente acautelados pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, disponibilizados para consulta pública de estudantes, especialistas e do público em geral. O BCP, por sua vez, foi criado para otimizar o resgate de objetos desaparecidos - tombados ou não -, convocando a sociedade, como um todo, a participar do dever cívico de zelar por seu patrimônio, podendo, inclusive, denunciar a existência de objetos de procedência ilícita, através do e-mail: [email protected]