PMs suspeitos de dar cobertura a roubo de cabos são demitidos, no Rio

JB Online

RIO DE JANEIRO - Após dois meses de investigação sobre os dois capitães da PM, suspeitos de dar cobertura à quadrilha que furtava cabos de fibra na Zona Sul do Rio, a PM determinou, nesta sexta-feira, que estes oficiais sejam demitidos da corporação.

De acordo com as investigações, o lucro com o roubo de cabos chegava a R$ 300 mil. Os capitães Lauro Moura Catarino, do 2º Batalhão (Botafogo), e Marcelo Queiróz dos Anjos, do Batalhão de Choque (BPChoque), ambos de 33 anos, estavam na Praia de Botafogo, acompanhados de nove prestadores de serviço de uma empresa de telefonia, quando receberam o aviso de demissão.

Segundo a polícia, eles estavam planejando furtar cabos de uma empresa de fibra ótica. Para não levantar suspeitas, os técnicos usavam equipamentos e uniformes como se estivessem trabalhando. No local, quatro carros e um caminhão foram apreendidos.

Os funcionários foram identificados como Válter Dias Filho, de 47 anos; José Fernando dos Santos, 44; Alexandre Xavier do Nascimento 43, Arlindo Pereira Gomes, 45, Carlos William Rodrigues Belo, 36; Denílson Luís Brazão do Nascimento e Cristiano Martins Mendes, ambos de 33; Walter Luís Virgílio dos Santos, 39. Entre os presos, também está o ex-soldado da PM Válter Dias Filho, expulso da corporação há 13 anos por corrupção.