Obras esquecem mais da metade da Av. Brasil

Maria Luisa de Melo, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - A Secretaria Municipal de Obras do Rio começou ontem a recuperação do trecho da Avenida Brasil que vai da Rodoviária Novo Rio, em São Cristóvão, ao Trevo das Margaridas, na entrada da Rodovia Presidente Dutra. A obra orçada em R$ 63 milhões vai contemplar apenas 17 km de uma das principais vias da cidade que possui 58 km no total. Outros 41 km ficaram esquecidos pela prefeitura do Rio.

Segundo a SMO, o intervalo que não vai receber melhorias foi reformado há pelo menos um ano, ainda na gestão de Cesar Maia.

Motoristas que trafegam pela avenida diariamente rebatem, no entanto, a posição de que não é toda a via que está precisando de reparos.

Na altura dos bairros de Irajá, Coelho Neto e Deodoro o asfalto está péssimo lembrou Jorge Luiz de Oliveira Filho. Tem lugar que de tão esburacado acaba arranhando o carro.

De acordo com Jorge Luiz, a má qualidade do asfalto no trecho é tão ruim que a pista, ao invés de reta, fica ondulada.

Os 17 km reformados vão ganhar 130 placas de sinalização e recuperação de canteiros centrais. As passarelas também serão restauradas.

Já o asfalto usado na recuperação da estrada foi produzido através de uma nova tecnologia que, segundo o secretário Alexandre Pinto, vai garantir uma maior durabilidade do material na estrada.

Vamos usar um asfalto morno a 140 graus, ao invés de 180 graus explicou o secretário. Com a nova tecnologia, o asfalto vai durar mais.

Trecho escolhido ganhará nova iluminação

Com o início das obras de recuperação de um trecho da via de maior movimento da cidade, a Secretaria Municipal de Conservação aproveitou para anunciar, ontem, que um edital está sendo elaborado e será lançado ainda no segundo semestre deste ano.

A partir do documento, uma licitação orçada em R$ 3 milhões para substituir as lâmpadas do trecho de São Cristóvão ao Trevo das Margaridas será feita.

As lâmpadas atuais serão mais potentes e vão consumir menos energia elétrica. A medida, no entanto, ainda não tem data fixada para se tornar realidade.

Choque de manutenção

Enquanto o edital não chega, a Secretaria de Conservação informou que está dando um 'choque de manutenção' no trecho.

As lâmpadas queimadas foram substituídas por novas. Quinze quilômetros da rede de dutos e cabos subterrâneos, que foram danificados ao longo dos anos, também estão sendo recuperados. Ao todo, são 1.830 os pontos de luz