Bruno e Macarrão serão ouvidos na semana que vem

JB Online

RIO DE JANEIRO - O goleiro Bruno e o comparsa Luiz Henrique Romão, o Macarrão, participam de nova audiência, nesta quinta-feira, no Fórum de Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. A dupla é acusada de sequestro, cárcere privado e lesão corporal, crimes cometidos contra a estudante Eliza Samudio, em outubro de 2009.

A primeira audiência envolvendo os dois no Rio foi realizada, também em Jacarepaguá, no dia 26 de agosto. Foram ouvidas quatro testemunhas de acusação, entre elas uma amiga da modelo, Milena Baroni Fontana, e a delegada que atendeu Eliza, Maria Aparecida Mallet.

Bruno e Macarrão ficaram na sala de audiência durante o depoimento da delegada, mas as outras testemunhas exigiram que os réus saíssem do local. A amiga de Eliza alegou "motivo de foro íntimo" e o juiz acatou o pedido. Milena prestou depoimento por 40 minutos e falou sobre algumas declarações que Eliza fez sobre a agressão sofrida por Bruno e Macarrão. Segundo Milena, a ex-amante do goleiro teria dito que, além de ter sido agredida, os dois teriam jogado álcool sobre o seu corpo e a obrigado a tomar um comprimido, mas não sabia se este era abortivo ou não.

Enquanto ocorriam os depoimentos na sala de audiência, torcedores do Flamengo se aglomeravam no lado de fora do Fórum para dar apoio ao goleiro. Muitas pessoas usavam camisetas do clube com o nome de Bruno e o presidente de uma das torcidas organizadas que estavam no local chegou a enviar uma bíblia para o ídolo.

No Rio, Bruno e Macarrão respondem pelo crimes de sequestro, cárcere privado e lesão corporal contra Eliza Samudio. As testemunhas listadas pelo advogado Ercio Quaresma, que defende o goleiro e o amigo, serão ouvidas em outra audiência, ainda sem data definida.