Menina que tinha agulhas e prego dentro do abdômen recebe alta

JB Online

RIO DE JANEIRO - Teve alta, na tarde desta sexta-feira, a menina de 1 ano e cinco meses que estava internada no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, em Duque de Caxias, após ter sido diagnosticada com três agulhas e um prego dentro do estômago.

O Conselho Tutelar de Duque de Caxias ouviu parentes e vizinhos da criança esta semana. A mãe da menina será ouvida na próxima semana.

De acordo com o delegado titular da 61ª DP (Xerém), Alexandre Ziehe, a vítima vai continar sob a guarda dos pais. Contudo, o delegado está aguardando os prontuários dos hospitais em que a menina ficou internada para avançar nas investigações.

Para entender como três agulhas e um prego foram parar no abdômen da menina, Ziehe levanta as hipóteses de que a criança seja vítima de maus-tratos, ou tenha participado de algum ritual de magia negra. Os pais afirmam não saber como isso aconteceu com a criança.

As agulhas que têm tamanhos diferentes (cinco, sete e oito centímetros) chamaram a atenção do delegado que desconsidera a possibilidade de ingestão pela boca, depois de ouvir um dos médicos que atenderam a menina, de 1 ano e cinco meses.

De acordo com o Conselho Tutelar de Duque de Caxias não encontrou indícios de prática de magia negra na casa da família. A mãe já disse ser evangélica, mas a crença do pai ainda é desconhecida. Ambos serão entrevistados no conselho, que também vai ouvir as outras filhas do casal, de sete e 12 anos, e vizinhos.

O caso

O pai levou a menina para o hospital no domingo. Ela reclamava de dores perto do umbigo há cerca de dois meses, mas no fim de semana ele teria reparado num caroço duro na barriga. As agulhas foram descobertas em radiografia.