Flip: Robert Crumb se surpreende com quantidade de fãs brasileiros

Portal Terra

RIO - O escritor de quadrinhos norte-americano Robert Crumb parecia surpreso com a quantidade de admiradores que pagaram para vê-lo na 8ª Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), na mesa 'A origem do universo', a mais esperada do evento, na noite deste sábado. Quando o quadrinista entrou no palco, acompanhado do amigo Gilbert Shelton e da esposa Aline Crumb, ficou olhando para a plateia atentamente, colocando uma das mãos acima dos olhos para proteger a visão dos refletores.

"Realmente não entendo o motivo de estar aqui. Sou um sujeito tranquilo e entediante, realmente não compreendo tudo isso", disse Crumb.

Logo em seguida, ele rugiu e fez careta para um grupo de fotógrafos que o clicava e pediu para que parassem com os cliques. Momentos depois, a assessoria do evento convidou os fotógrafos a se retirarem do local.

Até a metade da palestra, os assuntos ficaram limitados às vidas particulares dos convidados, como quando se conheceram, início de carreira de cartunistas, uso de drogas (maconha e LSD) e música.

E já que uma editora brasileira publicará em breve o livro 'Meus problemas com as mulheres', de Robert Crumb, o mediador da palestra perguntou a ele sobre a obra.

"Já não me identifico com este trabalho. Fico até com vergonha... Quando disse que iria ao Brasil, me disseram para prestar atenção na bunda das mulheres daqui. E realmente são grandes, saias curtas, muita perna de fora. Imagino isso no verão", divertiu-se Crumb, que estava com humor muito melhor do que na sexta-feira de manhã, quando fez gestos obscenos para os fotógrafos.

Robert Shelton lembrou da música Garota de Ipanema e chegou a assobiar alguns versos. Em outro momento de bom humor, Crumb disse que gostaria que Brad Pitt ou Mel Gibson o interpretasse no cinema, caso suja a oportunidade da realização de um filme sobre sua vida. O autor afirmou também que não tem nenhum projeto que o empolgue no momento. Já Shelton espera participar de um filme que depende da verba de patrocinadores.

Quando alguém da plateia perguntou a eles como seria um personagem inspirado no Brasil, ambos responderam de forma parecida. "Ela teria a bunda grande", brincou Crumb. "A Garota de Ipanema", completou Shelton.

No encerramento, os dois deixaram o palco sem agradecer ao público pelos aplausos. "Acabamos, é isso?", finalizou Crumb, que logo depois se levantou e deixou o palco.