Caso Rafael: PM vai pedir prisão preventiva de policiais

Portal Terra

RIO - A corregedoria da Polícia Militar (PM) do Rio de Janeiro se reúne na segunda-feira com a Justiça Militar e com o Ministério Público para pedir a prisão preventiva dos policiais militares que liberaram o suposto atropelador do filho da atriz Cissa Guimarães. Os dois cumprem prisão administrativa. As informações são da assessoria de imprensa da PM.

O juiz Alberto Fraga já havia vetado um pedido de prisão dos PMs e disse que não havia indícios e provas para embasar a custódia tutelar. Além disso, os policiais não possuem antecedentes criminais e "há anos integram a corporação militar, o que permite concluir pela ausência de sua periculosidade", afirmou o juiz na sentença.

De acordo com a decisão, a liberdade dos policiais não "acarreta qualquer ameaça seja à ordem pública, seja à aplicação penal, ou seja à oitiva das testemunhas".

O comandante geral da Polícia Militar do Rio, coronel Mário Sérgio Duarte, havia pedido na noite de sexta-feira a prisão preventiva dos policiais após tomar conhecimento do depoimento de Roberto Bussamra, pai do atropelador. Ele afirmou em depoimento na delegacia que pagou R$ 1 mil para que o cabo e um sargento liberassem seu filho após o acidente.