Uerj sedia Seminário de Políticas Públicas de Cultura

Clarissa Barcellos, JB Online

RIO DE JANEIRO - A Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) sediou nesta quinta-feira (24/6) a abertura da nona edição do Seminário Permanente de Políticas Públicas de Cultura do Estado do Rio de Janeiro. O seminário, que acontece até dezembro, é uma iniciativa da Comissão Estadual de Gestores de Cultura do Rio de Janeiro (ComCultura RJ), em parceria com o Departamento Cultural (Decult) da Sub-Reitoria de Extensão e Cultura da Uerj, Secretaria de Estado de Cultura, Fundação Casa de Rui Barbosa, em conjunto com o Ministério da Cultura (MinC) e prefeituras municipais.

- A Secretaria de Cultura vê com bons olhos a iniciativa do curso, que se propõe a capacitar os gestores públicos. Geralmente, o Estado toma pra si esta responsabilidade, mas o que está acontecendo aqui é o contrário: a sociedade civil está se propondo a capacitar o quadro do Estado. Isso é válido, já que o Estado nada mais é do que uma representação e extensão da sociedade civil. A secretaria achou importante apoiar o projeto porque essa questão da capacitação é uma das principais carências diagnosticadas pelo sistema estadual de cultura afirma Renato Dantas, que representou a Secretaria de Cultura do Estado no evento.

Por meio de encontros regionais, oficinas de capacitação, publicações, palestras, aulas, estudos de casos e debates, o seminário discute as movimentações das políticas culturais, como oportunidade de entender e pensar sobre o conceito de cultura. Os objetivos são conduzir a formação e a capacitação de gestores, agentes culturais, artistas e técnicos, promovendo um canal aberto para a reflexão acerca da cultura enquanto política.

- Desde o primeiro ano do curso, a ideia era conciliar a questão da vida acadêmica, os processos de pesquisa e o entendimento do conceito de cultura com o engajamento das ações culturais dos municípios, com o aporte da academia. O ComCultura é uma ONG, que também trabalha com órgãos da esfera federal, que articula esses agentes culturais, existentes em todos os municípios, para preparar melhor essa função de gerenciar as questões culturais. Ao fim do curso, os alunos farão uma monografia para obter o certificado, já que o curso é de extensão e cumpre todas as normas do MEC explica a diretora do Decult da Uerj, Cássia Frade.

O seminário é dividido em quatro módulos temáticos, desenvolvidos em palestras, oficinas e debates, que compreendem os assuntos cultura e políticas culturais, gestão cultural e patrimônio, economia da cultura, legislação cultural, práticas administrativas, produção cultural, especificidades regionais, comunicação da cultura, sistemas municipais de cultura e outros.

Durante o curso, será organizada uma estrutura flexível, de forma a comportar tanto conferências e comunicações quanto debates e relatos de desenvolvimento de pesquisas. O seminário visa atender à demanda específica dos gestores, no âmbito da formação e qualificação profissional, propondo a troca de experiências e a produção de conhecimento na área de gestão pública de cultura.

O seminário propõe ainda a integração com o Ponto de Cultura, ação do Programa Cultura Viva, desenvolvido pela sociedade civil, em parceria com o MinC, que, por meio de seleção por editais públicos, ficam responsáveis por articular e impulsionar as ações que já existem nas comunidades. Atualmente existe mais de 650 pontos de cultura espalhados pelo país e, diante do desenvolvimento do programa, o ministério decidiu criar mecanismos de articulação entre os diversos pontos, as redes de pontos de cultura e os pontões de cultura.

- É necessário que haja políticas públicas que contemplem e dialoguem com todos, em igualdade de condições, já que a esfera cultural é tão diversa em sua representatividade. A Uerj tem feito um esforço para sair de seus campi, chegar aos vários municípios e reunir os profissionais de cultura, na construção de um Estado mais participativo. Neste ano, o edital dos pontos de cultura aprovou 150 pontos, e mais 80 de suporte, e a verba para esses convênios foi aprovada essa semana garante o representante regional do MinC, Adair Rocha.

Além dos inscritos de todo o estado, a abertura do seminário contou ainda com a presença da diretora da Casa de Rui Barbosa, Lia Calabre, da presidente do ComCultura, Maria Curvello, entre outros representantes. A aula inaugural ficou por conta da professora Maria Laura Viveiros de Castro, doutora em Antropologia Social.

No total, serão 25 encontros-aulas, divididos em cinco módulos didáticos, desenvolvidos em palestras e debates. O seminário conta ainda com apoio da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad), do Ministério da Educação (MEC) e financiamento da Secretaria de Cidadania Cultural, através do programa Cultura Viva. A programação é quinzenal, sempre às quintas-feiras, das 13h às 17h. Mais informações são encontradas no site www.comcultura.com.br e pelo telefone do Decult Uerj: (21) 2334-0114.