Cultura e diálogo contra a dependência

Carolina Monteiro, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Às vésperas do Dia Mundial de Combate às Drogas, o Ministério da Cultura (MinC), em parceria com a ONG Viva Rio, promove nesta quinta-feira, às 9h30, um debate sobre as políticas voltadas ao consumo e ao tráfico de entorpecentes no Brasil e em outros países.

O ponto culminante do evento será o diálogo entre jovens moradores de favelas e policiais que atuam em Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs).

Como as UPPs reduzem a violência associada ao tráfico de drogas nestas comunidades, torna-se possível falar sobre o assunto explica o diretor executivo do Viva Rio, Rubem Fernandes. O mais interessante é que vamos reunir uma discussão sobre drogas com uma nova política de segurança nas favelas, onde antes reinava o poder do tráfico.

O MinC tem o objetivo de contribuir para a eficácia das politicas públicas sobre drogas no país informa Marcus Cruz, consultor do órgão. A dimensão cultural não pode estar ausente das reflexões.

Durante o evento, que acontece na sede da ONG carioca, na rua do Russel, 76, na Glória (Zona Sul), será lançado o livro Drogas e cultura: Novas perspectivas, organizado por pesquisadores do Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre Psicoativos (Neip).

O livro traz uma novidade no debate sobre as drogas: a visão das ciências humanas, que normalmente ficam afastadas da discussão conta Mauricio Fiore, co-organizador do volume.

Outro projeto que combate as drogas desenvolvido atualmente pelo Viva Rio é o programa Estratégia de Saúde da Família, em parceria com a prefeitura do Rio.

A proposta é que as pessoas das comunidades onde atuamos que tenham problemas com drogas procurem atendimento explica Rubem. Para isso, precisamos que as unidades de saúde estejam de portas abertas. Senão, as pessoas não vão por medo.