Obras no prédio Pedro II forçaram o desligamento de relógio na Central

Marcelo Fernandes , Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Quem passar pela Central do Brasil e quiser conferir as horas no histórico relógio, ficará frustrado. Mantido pela Secretaria de Segurança do Estado (Seseg), o relógio está parado.

O motivo do desligamento são as obras no edifício Pedro II, onde, além da Secretaria de Segurança, funcionam as pastas de Administração Penitenciária e Direitos Humanos e Assistência Social.

A reforma renovará toda a fachada do imóvel, com retoques na aparência do relógio o mecanismo não será mexido além de áreas internas do prédio, que possui sete andares, mais os 14 da torre. A previsão de término da obra é daqui a um mês.

A estação Central do Brasil foi inaugurada em 29 de março de 1858. Já o relógio só entrou em funcionamento em 1943, após a demolição da primeira estação na década de 30. O equipamento possui quatro faces e, devido à sua altura e ao seu tamanho, pode ser visto de diversos pontos da cidade. Só seu ponteiro dos minutos pesa 270 quilos.

A estação, já com a torre e o relógio, foi projetada pelo arquiteto Roberto Magno de Carvalho e pelo Escritório Robert R. Prentice, seguindo a proposta do movimento artístico Art Déco.

A estação foi cenário do filme homônimo estrelado por Fernanda Montenegro. De acordo com o colunista do JB Paulo Pacini, o relógio é parte da história carioca, por estar localizado sobre uma das estações mais famosas do país.