Celebração deve atrair 100 mil

Luiz Urjais, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - A tradicional festa de Corpus Christi deve reunir, nesta quinta-feira, às 15h, no Centro, cerca de 100 mil fiéis, em procissão que seguirá da Igreja da Candelária, na Praça Pio X, até a Catedral de São Sebastião, na Avenida República do Chile. Presidida pelo arcebispo dom Orani João Tempesta, a celebração contará com um tapete de 400 metros colocado no final do trajeto da procissão, além de um palco armado em frente à Catedral.

De acordo com o coordenador de eventos da Arquidiocese, padre Omar Raposo, a festa começará às 10h, na Igreja de Sant'Ana, com missa de encerramento da 84ª Semana Eucarística, durante a qual os fiéis foram preparados para a solenidade.

Sob o lema Mestre, onde moras?, a Igreja do Rio quer proporcionar uma festa bem condizente com a fé católica resumiu o sacerdote.

A procissão, que partirá da Candelária, seguirá pelas avenidas Rio Branco, Almirante Barroso e República do Chile. E, como sempre, terá como polo de atração o carro-andor, em que é levado a custódia com a hóstia consagrada, precedido por um trio elétrico e dez carros de som.

Segundo o padre Raposo, a solenidade tem a permissão da prefeitura e não trará maior complicação para o trânsito no Centro da cidade.

Contatei as secretarias responsáveis para termos a necessária autorização, uma vez que a cerimônia é realizada em via pública explicou.

No fim da procissão, dom Orani falará aos fiéis e dará a bênção com o Santíssimo.

Os católicos estão sendo convidados a levar alimentos não perecíveis, que depois serão doados a obras sociais da Igreja.

Os donativos poderão ser entregues no trio elétrico, nos carros de som ou nas Kombis que vão incorporar-se na procissão.

A ideia de levar os alimentos é uma forma simbólica de lembrar que quem cultua o pão espiritual deve também partilhar o pão material explicou o padre Raposo.

O tapete, que pela primeira vez será montado no último trecho da procissão, ao longo de 400 metros antes de chegar à Catedral, na AvenidaChile, foi ideia do próprio dom Orani, acrescentou o padre Raposo.

É composto por mais de 60 imagens sacras, sobre as quais passará o carro-andor, e dentro dele segue o arcebispo, de joelhos, diante da custódia que leva o Santíssimo Sacramento.

São aguardadas associações religiosas com suas bandeiras e estandartes, além de representantes das Forças Armadas, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. Até o fechamento desta edição, a CET-Rio não tinha fornecido o mapa com as mudanças do trânsito.